Quebra canela na Rainha da fronteira

14 1
Chegando das bandas de Bagé, num dia tão feio quanto o estado do tradicional Pedra Moura. Com um campo DETONADO pela geada, banheiros sem água e condições de higiene DEPLORÁVEIS, vestiário praticamente sem iluminação deixando os jogadores no escuro, sem falar da pintura e arquibancadas em estado LAMENTÁVEL.
Chamam a nossa atenção esses detalhes no momento que somos recebidos dessa forma, ao passo que em Livramento, os vestiários e próprios camarotes para comissão técnica visitante podem ser comparados a palacetes em ótimas condições.
Pois bem, na fronteira costumamos receber o visitante dentro do que temos como melhor. Fazemos a nossa parte e esperamos (e seguimos sempre esperando) que um dia façam o mesmo por nós.
Mas qual o quê, não é a Segundona? Pois é e, para reforçar o ambiente quase VARZEANO, uma arbitragem prá lá de defeituosa do INTERMINÁVEL Bolzan, de Santa Maria, errando a torto e a direito, te aposenta criatura!
14
No jogo, como seria de se esperar, o jalde negro foi para cima nos primeiros minutos e teve chance clara em um escanteio. Mas aos poucos os Rubro Negros da Fronteira Mais irmã do Mundo começaram a cadenciar a pelota, desferindo alguns chutes contra o gol do time mandante, mas sem maior perigo.
14 3
Pois quando o Leão estava melhor é que foi vazado, num falha geral da defesa, Wesley entrou solito e bateu forte para abrir o marcador. O jogo seguiu na mesma toada e quando estava para soar o apito do intervalo.
Quando Fernando Lima fez um golaço de fora da área num pelotaço impressionante que venceu o guarda metas bajeense Fernando. O segundo tempo se resumiu a tentativas infrutíferas do Bagé em furar a defesa do 14, no toque e nas bolas aéreas, bem como do 14 em tentar os contra ataques.
14 2
Por volta de três chances de gol para os da CAMPANHA e uma para os santanenses. O que ficou foi um bom resultado para o 14 e um mau resultado para o Bagé, bem como a certeza que ambos terão que melhorar muito para ambicionar o acesso.
Da rubro-negra,
Natália Campos.
(Com a colaboração de Luis Roberto Campos).
Publicado em 14 de Julho, Grêmio Bagé, Segunda Divisão 2013, Terceirona 2013 com as tags , , , , , , , , . ligação permanente.

5 Respostas a Quebra canela na Rainha da fronteira

  1. Vini Araujo diz:

    Lendo o início da matéria, fico com MEDO de quando o 14 de Julho vier a Três Passos no próximo domingo. Se ficaram horrorizados com as condições do estádio Pedra Moura, vocês não sabem o que lhe esperam aqui em Três Passos.
    Infelizmente o nosso estádio Luiz de Medeiros é o pior em estrutura de todo o Estado!

  2. luis roberto campos diz:

    Mas bah!…

  3. Castellano diz:

    “Pois bem, na fronteira costumamos receber o visitante dentro do que temos como melhor. ”

    HAHAHAHAHAHAHAHAH Só pode ser piada essa frase!

    Mas condições da Pedra Moura são muito precárias (e a torcida do Bagé nem se fala), mas pelo menos tem uma capacidade decente pra receber torcida visitante, diferente de Livramento…

  4. Buenas colega, toda crítica é bem vinda, mas não posso deixar de colocar que não foi nenhuma piada, não! Se reparares no contexto, foi referido o tempo todo ás condições do estádio que estão lamentáveis. Não vejo como dar crédito a capacidade da casa enquanto as arquibancadas NÃO ESTÃO preparadas pra receber a torcida adversária, de um lado tão judiadas que deveriam estar interditadas ( se já não estão), e do outro com ferros pontiagudos e e similares oferecendo perigo a qualquer maior quantidade de gente que tente se acomodar ali. Pra não falar do que eram pra ser banheiros, que é algo vergonhoso de se oferecer a alguém, ou da aparência geral do estádio que entristece qualquer um que vê, por ser uma casa tão tradicional.
    Quanto ao João Martins, não sei quando que foste lá, e como que foste recebido, mas podes falar qualquer coisa de Livramento, mas não nesse sentido. O estádio vem sempre sendo reformado, aqui e ali, os vestiários impecáveis, é oferecido também espaço reservado e lugar privilegiado pra comissão técnica visitante com regalias que bá..mas sobre a recepção da torcida, já houveram episódios complicados, e inclusive recentemente, mas em nenhum momento por relaxamento ou desrespeito com quem vai ao estádio, talvez confusão por falta de espaço, como aconteceu com o brasil? capacidade como disseste,e outras cositas más também.. mas daí são outros 500 e não vejo aonde que se enquadra a tua crítica com a minha, estamos falando de coisas diferentes.

  5. Ana Maria Braga diz:

    …e estava muito frio (estádio sem calefação) e não ofereceram cuca com chá. Além disso tivemos que sentar no cimento enquanto no J. Martins tem um pasto sobre barro super lindo ao invés de cimento…#horrizada #quedeselegancia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *