A reação que veio da CASAMATA

954744_541587182557626_1790998718_n

E o dia que rendeu tantas LAMÚRIAS AMARGURADAS por parte deste cancheiro que vos fala finalmente chegou. Neste domingo (04/08), o escrete PAPAREIA sob seus domínios enfrentou a equipe do Nova Prata pela primeira rodada do COSTELÃO DE SEGUNDA 2013.

Em um dia tipicamente gelado na cidade de Rio Grande, onde os mais antigos diriam que o custo já estaria RENGUEADO, se deu início a caminhada do vovô rumo a primeira divisão. Ás 10:30, o público como de costume, não completava dois ônibus da Viação Noiva do Mar, tamanha desconfiança do torcedor depois da LASTIMÁVEL queda à terceira divisão.

531810_541511639231847_371286327_n

Equipe que iniciou a partida.

O Rio Grande iniciou o jogo no esquema 4-3-3, ao estilo Grêmio do ínicio da década de 80 com Valdir Espinosa. Cristian Fabian e Mano Garcia jogando pelas laterais do CAPIM, enquanto Rafael Paraíba iniciou mais centralizado na COZINHA adversária, como um soldado solitário em linhas inimigas. Já na meia cancha, Wilson contribuiu com a primeira volância, enquanto Tássio e Tainã tiveram mais liberdade para ir ao ataque. O time que iniciou a partida foi semelhante ao do último amistoso realizado contra o Guarany-BG, tendo como única troca o jovem zagueiro Gabriel, pelo já experiente Luiz Tosta.

Com 10 minutos de atraso, se iniciou a PELADA. Com 1 minuto, tão cedo quanto o ponto de fervura para cozinhar um miojo, o goleiro Júlio César operou a primeira defesa, em bola alçada na área do veteranos. As jogadas pelo lado tricolor ficavam a cargo de Rogerinho e Cristian Fabian, que tentavam levar a equipe a frente. Aos 4 minutos, o primeiro lance duvidoso. Os jogadores do Rio Grande pediram pênalti em cima de Flavinho, ESTATELADO sobre a lona, enquanto o bandeirinha ESTÁTICO assinalou apenas falta, que cobrada por Mano Garcia, passou muito perto da META.

O Rio Grande encolhia o Nova Prata em sua defesa, avançando ao ataque como um predador em busca de sua presa. Aos 10 minutos, nova chegada do Vovô com BROTHER Garcia, que após jogada pela lateral, criou a primeira boa chance do Rio Grande no Jogo, interceptada pelo goleiro Bastos.

O Nova Prata ASSANHAVA-SE usando o contra-ataque ao seu favor. Eis que aos 15 minutos, Benhur, como o épico drama bíblico dirigido por William Wyler, na falha do zagueiro Fábio Souza, entrou na zaga veterana, e com um toquinho marcou, não deixando o goleiro aparecer na foto. Rio Grande 0x1 Nova Prata, no momento em que o tricolor dominava a partida.

1017256_541587492557595_2085798997_nEl pistoleiro Cristian Fabian caído.

O Rio Grande não se acanhou. Apesar do TENTO sofrido, Cristian Fabian, EL PISTOLERO, tentava levar a equipe ao ataque. Aos 17 minutos, outro lance polêmico: BROTHER Garcia caiu na área e o homem de preto que apita o plástico, não marcou.  O Nova Prata com boas investidas e melhor organização levava perigo a META tricolor, como com Bottin, que aos 25 minutos, perdeu um gol incrível de baixo da BALIZA para a equipe do nordeste rio-grandense.

Mesmo com a desvantagem, o Rio Grande insistia em ir ao ataque, mas falhava na última bola. Aos 31 minutos, o jogo mantinha-se em BANHO-MARIA, com o Nova Prata aproveitando os contra-ataques, enquanto o Rio Grande de toda forma tentava o gol.

Tudo mudou aos 39 minutos, quando BROTHER Garcia, após cruzamento de Rafael Paraíba, marcou o TENTO tricolor. GOLO GOLO GOLO! Rio Grande 1×1 Nova Prata. Mas como diria o ditado que “uma desgraça nunca vem só”, a alegria não durou por muito tempo; 1 minuto depois, em nova falha da defesa, que mais parecia uma PENEIRA, Bottin, às costas de Rogerinho, acabou com a alegria dos vovôs. Gol do NEW SILVER! Rio Grande 1×2 Nova Prata, gol que surgiu como um balde agua fria na torcida tricolor.

E foi assim o fim do primeiro tempo, Rio Grande 1×2 Nova Prata.

282826_541588945890783_381172331_n

Torcida tricolor que se fez presente no Arthur Lawson. 

O segundo tempo iniciou com uma troca do lado veterano. Cláudio Júnior substituiu Tainã na meia cancha tricolor. O Rio Grande, assim como no primeiro tempo, investia no ataque ABUSADO, agora sob comando dele, Cláudio Júnior e sua cabeleira. E com ele, tudo mudou. O Rio Grande foi mais incisivo, o Rio Grande foi mais time. Aos 3 minutos do segundo tempo, após jogada de Cláudio Junior e cruzamento de Cristian Fabian, Rafael Paraíba, o homem que atravessou o Brasil para tentar a sorte nos PAGOS Rio-Grandense, marcou de cabeça para alegria da VELHARADA, Rio Grande 2×2 Nova Prata. GOLO GOLO GOLO! E agora é pressão neles.

Após o gol, o Rio Grande foi só pressão. A equipe da Noiva do Mar tentava de todas as formas o gol redentor, mas continuava a parar no goleiro Bastos e sua zaga bem postada. Passados 16 minutos e a pressão inicial, o jogo ficou morno, com algumas investidas por parte das duas equipes em busca do TENTO salvador.

O jogo se arrastava MONOTONAMENTE para o seu fim, até que, aos 33 minutos da segunda etapa, após jogada de Cláudio Junior, ele mesmo, o craque ESTALEIRO RIOGRANDINO, cruzou na área, e BROTHER Garcia, FEDENDO A GOL, decretou a virada. GOLO GOLO GOLO! Rio Grande 3×2 Nova Prata. O descontrole estava formado no Arthur Lawson para alegria da GURIZADA e da VELHARADA tricolor.

E assim a partida se encaminhava para o final no Arthur Lawson, após um ano sem PEBOLIM na Av. Itália, Rio Grande 3×2 Nova Prata. Era hora de voltar pra casa com os 3 pontos em baixo do braço, encontrar a nega véia, e saborear uma deliciosa FRIBOI com gosto de vitória.

1012096_541589825890695_1249409412_n

Mano Garcia, o craque da partida, FEDENDO A GOL.

Rio Grande: Júlio Cesar; Rogerinho, Fábio Souza, Luiz Tosta (Danilo) e Flavinho; Wilson, Tássio e Tainã (Cláudio Júnior); Cristian Fabian, Rafael Paraíba e Mano Garcia.

Técnico: Júlio Batisti. 

Nova Prata: Bastos; Gabriel, Fernando Ramos, Cantarelli e Benhur (Airton); Fábio Rodrigueiro, Pedro, Bottin e Jean Dias (Eder Ceccon); Vandré e Rafinha.

Técnico: Everaldo Alves. 

Arbitragem: Érico Andrade Carvalho. Auxiliado por Rodrigo Macedo Guilherme e Tatiã Nunes. 

Gols: Benhur (NP) (15min 1ºT); Mano Garcia (RG) (39min 1ºT); Botin (NP) (41min 1ºT); Rafael Paraíba (RG) (3min 2ºT) e Mano Garcia (RG) (33min 2ºT).

As fotos são de Aline Rodrigues, da Assessoria de Imprensa do Vovô e Kássia Noguez.

 Um abraço deste tricolor invicto e com 100% que vos escreve,

Wilian Luz

Publicado em Associação Nova Prata, Rio Grande, Segunda Divisão 2013, Terceirona, Terceirona 2013 com as tags , , , , , , , , , . ligação permanente.

3 Respostas a A reação que veio da CASAMATA

  1. Léo diz:

    dále tricolor Will!!! baita matéria mano! o trapo da região metropolitana (VOVÔ TE SIGO AONDE FOR) estreou com vitória rsrs! e no final do jogo até q tinha lá umas 500 pessoas (bem acima do q esperava hehe).seguimos na peleja guerrero, abraço!

  2. Wilian Luz diz:

    Dale Léo! Pé quente então? hahahaha e contra o Sapucaiense, vai estar por ali? Vou ver se consigo ir e levo meu trapo! Qualquer coisa nos batemos por lá, abração!

    Wilian

  3. Miguel Bastos Duarte diz:

    Amigo Wilian,realmente foi uma vitória muito suada,mas como tudo para o Vovô sempre foi conquistado com dificuldades,acredito que as coisas em curto espaço de tempo,para quem como eu espera a mais de 30 anos chegar ao nosso lugar que é a Primeira Divisão.Este ano as coisas estão se encaminhando bem diferente dos outros por que passamos e estou levando muita fé no trabalho desta administração que estão trabalhando com os pés no chão.Numa visita sua aqui em sua terra Natal,vai ver as diferenças do trabalho que esta sendo feita no C.Esportivo,mas sempre com dificuldades,espero que hoje,nos tragam mais uma Vitória de Sapucaia do Sul.abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *