Leões têm sido o prato preferido do Índio

tiochico

Comemora Tio Chico, voltaremos!

Depois de uma vitória fora contra o 14 de Julho, um empate e uma derrota em casa ante Sapucaiense e Marau, respectivamente, o Guarani viajou a Palmeira das Missões, para enfrentar os rubros locais. Os índios estavam demonstrando um bom futebol nos últimos jogos, mas encontrava dificuldades EXTREMAS para marcar. Em Livramento, uma jogada individual do LISO avante Luan bastou para a vitória, o que não ocorreu em Venâncio Aires. Mesmo com um massacre Rubro-Negro, o jogo não saiu do zero ante o Sapucaiense, para revolta do defensor Rangel que se manifestou contra a ineficácia da equipe em acertar o alvo em entrevista pós-jogo.

Com os ingressos de Clodoaldo e Alexandre no time titular, a esquadra índia começou o jogo levando o ABAFA inicial dos anfitriões. O faminto e desfalcado Leão das Missões, que tem o escudo mais sensacional do universo, veio com tudo. Até aproximadamente os 10 minutos de jogo, os Mateiros não haviam ultrapassado o meio da cancha.

O Índio se defendia bem do predador. Porém aos 22 minutos, o juiz assinala pênalti para o Palmeirense. Lance duvidoso que causou um BANZÉ por parte dos Guaranis. Jonatã cobrou e colocou os ROJOS DE LAS MISSIONES na dianteira. A baforada dos missioneiros serviu para despertar a tribo visitante. Rafael Bitencourt mostrou do que é feito, carregando o Guarani como em 2006.

Não demorou muito para as flechadas acertarem o adversário. Aos 31 minutos, após dois escanteios, o maestro Bitencourt alça bola na área, e Rangel, que havia falado em ineficiência do ataque, resolve o problema num sem pulo da entrada da pequena área, deixando o placar igual. A esta altura, o exaltado e amarelado Rubro-Negro acalmou cumprimentando animosamente o BAITA público, o que causou um entrevero desnecessário. E assim encerrou-se a primeira parte.

No retorno dos vestiários, os donos da cancha regressaram melhores e retomaram a dianteira, através de William, de cabeça, aos quatro minutos. O choque do tento sofrido fez a equipe índia crescer e pressionar o inimigo. Rafael Bitencourt cobrou falta no travessão, após uma sequência de três tiros livres da entrada da área.

guaranipalm

Em casa cheia é sempre melhor, parabéns à comunidade de Palmeira

Tardou mas não falhou o empate. Em outra boa trama do ataque Guarani, Clodoaldo marca aos 23, para empatar a peleia. Na saída de bola da representação local, a bola é roubada, Luan arranca e marca. Menos de um minuto depois do empate. Um recado para a mídia do estado, o Índio Mateiro  também sabe fazer o que o time vermelho da capital fez, chupa sociedade!

Mesmo limitados técnica e fisicamente, os donos do bolicho foram desordenadamente ao ataque. Eis que começaram as disputas de bola mais AMISTOSAS, Ganzer o expoente técnico caseiro, foi expulso aos 37 deixando os missioneiros com 10 xirus. Aos 44 o árbitro igualou as condições, expulsando o capitão Éder Lazzari. Por fim, nem os cinco de acréscimos foram suficientes para que o Palmeirense conseguisse a igualdade.

A direção e jogadores do Guara exaltam o resultado, enquanto Bagé, o comandante do jovem grupo palmeirense revela que o clube tem aspirações à longo prazo, e portanto, este ano seria o de readaptação de uma comunidade que estava há nove anos sem futebol.

Com os três pontos no Luciano Ferreira Martins, o Guarani agora é terceiro colocado na chave B, empatado em pontos com Tupi e Bagé, três pontos atrás do líder, Três Passos. Agora o destino é Garibaldi, onde o inimigo será o homônimo na cancha do Alcides Santa Rosa, domingo, dia 25 às 15 horas. Apenas 95 quilômetros longe de casa, a menor viagem possível.

Bueno, um chupa para mim, que reclamei o tempo todo de que teríamos um jogo a menos em casa do que outros, surpreendente para quem acompanha Gauchão desde piá. A Terceirona para o representante mateador tem sido assim, matando um leão por rodada, uma caminhada que pode ter mais sete jogos até o paraíso.

Fotos: Daniel Heck.

Mais leões, por favor;

Régis Nazzi.

Publicado em Guarani-VA, Palmeirense, Segunda Divisão 2013, Terceirona 2013 com as tags , , , , . ligação permanente.

3 Respostas a Leões têm sido o prato preferido do Índio

  1. Enrique Xavante diz:

    Parabéns a ambos os times!E a população de Palmeira das Missões demonstrando que tem uma grande torcida.Sorte ao Palmeirense e ao Guarani,times de tradição no interior

  2. Régis diz:

    #1

    Isso aí.

    Ademais, um time com o escudo do Palmeirense não pode estar na Terceirona.

  3. Anderson diz:

    Guarani V.A foi campeão do gauchão de 2002. Um feito incrível para um time do interior. Tem historia. Ja esteve na primeira divisão, e com certeza pode voltar. Torço muito para isso. E parabéns ao Toda Cancha, que mantem vivo o mais puro futebol do Rio Grande do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *