Eu tenho uma camiseta escrita eu te amo!

public

Time saudando os fiéis de sempre

Infelizmente fomos eliminados dentro de casa, o saldo qualificado pior invenção da humanidade nos tirou do que seria uma classificação às finais e a meia-vaga, formulismo digno do #RSmelhoremtudo.

A ida

A indiada na Terra do Zoológico foi bastante equilibrada, até o de amarelo entrar em cena. Aos 12 minutos, lance polêmico na área Índia e o árbitro marca penalidade. Valença cobra mal e Rodrigo faz defesa. No entanto, os anfitriões seguiram no comando. Aos 25, Teda, que havia levado amarelo no ENTREVERO do pênalti foi expulso, deixando o Guarani com 10 xirus desde então.

Logo após, cruzamento para o FEDOR, Betinho e Rodrigo se atrapalham e Fábio Alemão aproveita. O gol premiou a equipe melhor em campo até então.

Os mateiros acordaram. E chegaram algumas vezes com perigo. Porém o outro Rubro-Negro assustou mais. Chegando com perigo com Fábio Alemão, o rei da várzea da Zona Sul agora mostra o faro de gol Rio Grande afora. De quebra, perdemos Teda e Pastel, este lesionado, para a volta.

Na volta do intervalo, orquestrados por Maicon Sapucaia, os locais regressaram melhor, e após jogada do ingresso Juliano, que driblou meio Guarani e tocou para o artilheiro, Fábio Alemão que não perdoou. 2×0 e o pavor tomava conta do Índio e o escore poderia se tornar irreversível.

Mas aos 47 do segundo tempo, Rafael Bitencourt alça o PORONGO no rebuliço e Márcio Nunes, testa para os cordões da cidadela rival. O tento da esperança. O 2 x 1 desfavorável, mas muito comemorado aquela altura, tornava uma vitória simples, um resultado que classificaria o Rubro-Negro.

A tragédia

masiero

Masiero comemorando seu gol

Necessitando de apenas um golo para avançar na Terceirona, os Mateiros foram para cima. O jogo estava nervoso e amarrado, até que, o maestro Bitencourt lança Clodoaldo, o endiabrado avante se livra de três marcadores e coloca o Guarani na frente, deslocando de Bruno, destaque do jogo até então, aos 22 minutos.

O resultado classificava o Índio, mas o Sapucaiense ameaçava com Gilian e Fábio Alemão. Esboçando alguns contra-ataques, o Rubro-Negro local não conseguiu vencer o arqueiro inimigo. Assim findava o primeiro tempo, com a classificação na mão, por um fio.

Na volta do intervalo, os visitantes regressaram mais agudos. E Fábio Alemão marca, aos 9. O Índio Mateador não se abateu. No lance seguinte, escanteio para o Guarani. Rafael Bitencourt atira no entrevero e Vinícius Masiero recoloca os mateiros na dianteira. A contenda ia aos penais com o 2 x 1, com 10 minutos de partida.

Entretanto, Juliano entra novamente para atazanar a tribo. Após uma jogada semelhante a do gol de quarta-feira, dessa vez ele faz tudo sozinho, empatando o jogo aos 24 minutos. O Índio precisava de dois gols, mesmo tendo melhor campanha no campeonato, o regulamento previa o LIXO do saldo qualificado, sim, reitero meu ódio a esta desgraça!

saibruno

Márcio auxiliando os de amarelo, ao tirar o expulso de campo, QUE MOMENTO

Chicão que havia deslocado o camisa 10 Rafael Bitencourt para a lateral-direita após a entrada de Rodolfo, colocou-o na dele novamente, assim sendo, Betinho rumou para o lugar deixado pelo maestro. E a indiada foi com tudo ao ataque.

O goleiro Bruno, de grande partida, conseguiu a expulsão por protagonizar duas vezes a famosa CERA. Evandro foi para o gol, pois já não eram mais disponíveis alterações. O Rubro-Negro seguiu no ataque. Mas os visitantes ameaçavam também, através do lépido Juliano. E no contra-ataque, após entrada dura e um BANZÉ danado, o lateral Márcio foi para o chuveiro antes da hora.

protesto

Clima amistoso

Ainda chegamos às redes, aos 51 minutos, Márcio Nunes marca. Com tantos acréscimos que parecia até um jogo desses, o juiz encerra antes do MILAGRE. Este mesmo foi alvo de reclamação de torcida, comissão técnica e jogadores depois do apito final. Os protestos se deram acerca da conivência dos homens de apito com a cera adversária, reversões, um toque de mão em frente à área e principalmente, os 376248632 impedimentos assinalados contra LOS MATEROS.

O dia de amanhã

destaque

Fim de jogo. Impedimento contra o Guarani

3×2 foram insuficientes para a classificação. Agora o foco é no segundo turno. O grupo tem respaldo de todos. Três triunfos serão suficientes para a qualificação as quartas do segundo turno. Ontem Venâncio Aires dormiu DUPLAMENTE triste, pois a ASSOEVA também perdeu.

O único apelo que faço aqui, é que coloquem a Taça da Amizade em horários diferentes dos jogos Guarani. Venâncio precisa apoiar a entidade que a representa mais que nunca nesta segunda volta da competição. O mate está amargo demais. O público se dividiu entre os times de família, inclusive a minha, ESPORTE CLUBE PALANQUE eterno, e o Rubro-Negro. Fora o fato de que muitos jogadores destes times, ficam impossibilitados de ir à cancha.

Até lá, continuo na torcida para que voltemos com força para a Segunda parte. O Guarani precisa do povaréu ao lado. O manto Rubro-Negro e o mate estarão sempre comigo. O que importa é que, não sei se será nesse ano, mas, vamos subir Índio!

Fotos: Jornal Folha do Mate

Vou me entorpecer bebendo vinho, a Divisão de Acesso é o meu caminho;

Régis Nazzi

Publicado em Guarani-VA, Sapucaiense, Terceirona 2013 com as tags , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Eu tenho uma camiseta escrita eu te amo!

  1. Joaquim diz:

    Palhaçada , este time ai sempre nos fudendo

  2. Alexandre Maciel diz:

    Antes de ler o post, um salve para o título wanderwildnérico perfeito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *