Lima, técnica e muita luta a serviço do Leão das Missões

29092013

Em uma competição na qual a pegada e as divididas são a principal característica das equipes, jogadores de técnica refinada fazem a diferença, é o caso de Lima, jogador de drible curto, visão de jogo e que não teme os volantes e zagueiros de porte avantajado.

Partindo para cima e quase sempre conseguindo lances perigosos em favor do Leão Missioneiro, em conversa com o Toda Cancha, o meia nos conta sobre a adaptação a cidade, ao clube e revela o desejo de permanecer em 2014.

Lima é natural da cidade de Santo Augusto, oriundo da Escolinha do Cabo João Batista que há anos desenvolve belo trabalho em Santo Augusto, revelando bons valores para equipes profissionais.

Lima  acumula em sua carreira passagens por União Frederiguense, Cruzeiro de Porto Alegre, Gaúcho de Passo Fundo, São Luiz de Ijuí e Milan de Júlio de Castilhos.

Perguntado sobre a adaptação a cidade e como vem sendo seu dia a dia no clube, Lima foi só elogios.

O palmeirense é um clube muito bom que tem muita história no futebol gaúcho, a cidade de Palmeira das Missões é muito acolhedora, o clube possui uma  torcida que sempre comparece mesmo com chuva e são apaixonados, isso nos motiva e incentiva todos os atletas, fazendo com que a gente não desista nunca, reflexo disso são os gols nos acréscimos que ajudaram muito a gente. É uma honra vestir essa camiseta que, além da torcida que me impressiona todo jogo, tem uma diretoria muito séria que faz de tudo pra dar boas condições de trabalho para os jogadores em um cenário bastante diferente do vivido em outros clubes.

Sobre a relação com o diretor Régis Lorenzoni que já foi atleta do clube e desde então é sempre muito atuante no esporte local e com o Presidente Vieira, figura consagrada na cidade por ser o Presidente no Acesso em 2001, Lima foi categórico em mostrar admiração e respeito aos “chefes”.

O capitão Vieira juntamente com o Régis estão sempre presentes conosco em treinamentos e no vestiário, dão um suporte emocional nas piores horas e isso ajuda muito um atleta.

Com a dificuldade financeira que os clubes do interior passam, muito pela omissão e descaso da Federação, todo jogador que hoje atua na Terceirona Gaudéria já precisa planejar seu futuro para 2014, tendo em vista que a Divisão de Acesso começa no início do ano, segundo Lima a ideia é subir com o Palmeirense e permanecer no clube, o jogador que não possui empresário nos passou como funciona as negociações com os clubes.

– Na verdade eu mesmo negocio com os clubes, mas sempre tem alguém que indica o atleta, o importante é fazer boas partidas, uma boa campanha e dar o meu máximo para subir com o  Palmeirense e  seguir bem empregado ano que vem , seja aqui ou em outro clube!!

Por fim, o piazote de 21 anos, que tem um belo futuro pela frente, ressalta o trabalho forte do experiente Técnico Bagé, que também estava no clube em 2001, ano histórico na vida do clube com o título da Divisão de Acesso.

– O professor Bagé é um ótimo treinador, sempre trabalha bastante e com muita seriedade buscando tirar o melhor de cada atleta e do grupo.

Nas arquibancadas do Luciano Ferreira Martins o nome de Lima é citado como a principal causa pela derrota da equipe na estreia do Segundo Turno, diante do Marau.

Em Bagé, diante do Guarany o meia voltou a equipe titular e foi o autor do gol salvador dos Missioneiros, já nos acréscimos, confirmando que ele não desiste antes do apito final. Desejamos Boa Sorte ao guri e que possa cada vez mais ajudar o Leão em sua peleia até o acesso que é difícil, mas não impossível pra esse grupo.

Da Terra do Carijo, Deive Gessinger.

Foto: Francisco de Assis/Especial GFC

Publicado em Entrevistas, Palmeirense, Segunda Divisão 2013, Sem categoria, Terceirona 2013 com as tags , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *