Das Rivalidades que fizeram nossa história…

gaucho

O Esporte Clube São Luiz de Ijuí, por muito tempo, não foi o único clube profissional da cidade das culturas diversificadas… Nos tempos áureos do futebol ijuiense, existiram no mínimo mais dois clubes que juntamente com o São Luiz, disputaram a segunda divisão do Gaúchão em alguns anos, ainda na época do semi-profissionalismo, estes clubes, ao contrário do Rubro desativaram seus departamentos de futebol e se distanciaram da história do futebol gaúcho, ficando só mesmo na história do futebol ijuiense.

Há meio século, na cidade de Ijuí, o campeonato municipal era disputado por diversos clubes, fortes não só na cidade, mas na região. Desses clubes, podemos destacar: O E.C. São Luiz, o Grêmio Esportivo Gaúcho e o Força e Luz Futebol Clube. O ponto a destacar é de que esses clubes foram rivais do colorado ijuiense e também tinham departamentos profissionais de futebol, seus próprios campos e sua torcida. Durante muito tempo, as rivalidades do futebol de Ijuí foram tão grandes ou maiores que a rivalidade GRE-NAL.
Mas a história cobra seu preço, e como na seleção natural, onde somente os mais fortes sobrevivem, alguns desses clubes passaram por crises, tanto futebolísticas quanto econômicas, e naturalmente deixaram de existir. Mas ainda existem em fotos, histórias e nos corações de seus torcedores.
Torcedores estes que sonhavam e ainda sonham na volta ao profissionalismo de alguns desses clubes, para que os clássicos da cidade voltem a ser disputados. O principal movimento seria o do Grêmio Esportivo Gaúcho, conhecido na cidade como Gaúcho, o clube que foi nas décadas de 50 a 70 o maior rival do São Luiz, ainda existe no amadorismo, mantendo seu patrimônio e sua história ativa, sonhando com uma volta ao profissionalismo. Foto: Escudo do Gaúcho – Fonte: Memória Virtual Ijuí
O Gaúcho, foi fundado no interior de Ijuí, mais precisamente na Linha 3 Oeste, no dia 18 de Outubro de 1943 (um dia antes do aniversário da cidade). Durante alguns anos, mantendo-se no interior da cidade, no ano de 1948 se transferiu para o centro da cidade, tomando assim uma decisão crucial para o crescimento do clube. No mesmo ano, o Gaúcho começava a história dos confrontos contra o São Luiz de Ijuí, quando o clube tricolor (vermelho, azul e branco), conquistou o título de Ijuí em sua primeira participação.
O clássico do Colorado Ijuiense contra o Tricolor, virou o GRE-NAL de Ijuí, com uma série de decisões e jogos muito disputados, os clubes tinham cada um uma vantagem. O Gaúcho tinha perdido para o São Luiz em várias ocasiões, mas quando se tratava de decisões dos títulos de Ijuí, o clube tricolor na maioria das vezes levava a melhor.
O clube tricolor, contava com uma enorme legião de torcedores que nos clássicos contra o São Luiz, após as vitórias, “contavam vantagem” sobre o São Luiz, da mesma maneira que os torcedores do rubro faziam após as suas, a “flauta” em Ijuí tinha uma peculiaridade, por muitas vezes, as legiões de torcedores viravam poetas e dedicavam um pequeno texto aos torcedores do adversário, este que era publicado no jornal da cidade:

Aos Fans do Gaúcho
Li uns versos no jornal
Do ex-dono da liderança.
Dou razão aos do “gaúcho”
Eu também já fui criança.
Quando ganha uma bolita.
Que alguém de fora lhe trouxe.
Mostra a toda vizinhança
Que dinheiro não poupou-se.
Assim em poucas palavras,
Eis a vida do “Gaúcho”
Juntar a “gaita” dos outros
E vencer o São Luiz. Que Luxo!
Com toda essa teoria
Desde a sua fundação
Dezessete partidas perderam
E quatro venceram ao campeão
O fato acima, senhores,
Nem precisava anunciar,
Mas é necessário que se diga,
Sempre é bom recordar.
Fui o único são-luizense
Que escapei de ser criticado,
Mas confesso: Perder a vocês
É preciso ser descuidado.
No nosso último encontro,
Que deu lugar aos versinhos,
O São Luiz jogou bem pouco.
Vencer todas é ser mesquinho.
E como bons esportistas,
“Para a nossa mocidade”
Perdemos algum encontro:
Dando-lhes a oportunidade:
A que o futebol crie asa
Para termos diversão
Viva o clube coloraúdo
Viva a nosso co-irmão
Ijuí, 24/9/1949
Um Colorado

Uma rivalidade saudável que se tinha em Ijuí, essa cultivada ainda hoje por diversos de nossos anciões da cidade… Ainda me lembro das palavras de minha vó, quando lhe perguntei se ela iria torcer pelo São Luiz na partida contra o Internacional de Porto Alegre. Ela simplesmente me respondeu, “Torcer para o São Luiz jamais… Eu torcia pro Gaúcho!”. Ela em seus 83 anos, ainda se lembra dos jogos e dos bons momentos que teve, quando o futebol municipal era mais importante que o estadual.
Mas nada que é bom dura para sempre! Na década de 70, com uma febre nos clubes do interior buscando a participação no regional, o Esporte Clube São Luiz e o Gaúcho, profissionalizaram-se e inciaram sua aventura pelo profissionalismo e pelos campeonatos estaduais do Rio Grande do Sul.
Assim como o São Luiz, no final da década de 70, o Gaúcho se licenciou de competições profissionais devido a falta de dinheiro em caixa. O São Luiz voltaria anos mais tarde, mas o co-irmão jamais voltou a colocar os pés em uma partida oficial. Assim o São Luiz se tornou a única entidade profissional da cidade e o Gaúcho continua até hoje no amadorismo, mantendo o patrimônio que lhe restou, mantendo uma escolinha de futebol ativa e disputando campeonatos amadores no estado.
A rivalidade se tornou coisa do passado, a medida de que o profissionalismo do São Luiz tomou conta da cidade. Hoje os antigos torcedores do Gaúcho vão ao 19 de Outubro olham as partidas como torcedores da casa, não é raro termos a visão das camisetas tricolores nas cadeiras do estádio ou até mesmo na geral. Eu como torcedores do São Luiz, quando leio a história dos confrontos ou ouço dos mais antigos, fico imaginando como seria o confronto das duas potências do futebol ijuiense.
Em algum momento a cidade das culturas diversificadas, já teve dois clubes profissionais, dois rivais… Em algum momento a cidade perdeu um deles, mas ainda fica a esperança, de que algum dia, eu possa ver o confronto da camisa tricolor contra o vermelho do São Luiz. Se for para a cidade ter um segundo clube profissional, que seja o Grêmio Esportivo Gaúcho e não um clube de empresários.

Ainda tenho esperança;

João Pedro de Carvalho

Publicado em Gaúcho de Ijuí, São Luiz com as tags , , , , . ligação permanente.

3 Respostas a Das Rivalidades que fizeram nossa história…

  1. Joao diz:

    Por essas e outras que eu jamais vou respeitar a quadrilha grenal-fgf-rbs…
    Baita texto!

  2. Rafael Augusto Machado diz:

    É isso aí, João! Viva o futebol do interior! Viva o meu amado AVENIDA! Avenidenses de Caxias do Sul, presentes!

  3. Pingback: Vítimas da polarização e do esquecimento – parte V | Toda Cancha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *