Merecer não é o bastante!

garib131

Geral ao mesmo preço da social é isso aí…

Segunda perna das quartas de final do segundo turno da Terceirona, o Guarani vinha de vitória por 2 a 1 na Terra dos Espumantes, ante o Garibaldi e ambos decidiam a continuidade da temporada na amena noite de segunda-feira, em Venâncio Aires.

Na primeira peleia, Rafael Bitencourt marcou duas vezes para o Índio, Flaviano descontou para os locais e Rodrigo defendeu uma penalidade. Um BAITA resultado, mas em um confronto tão equilibrado como o de quinta, a certeza da qualificação inexistia.

Dentro da cancha

garib13

A categoria habitual do capita!

Adentrei-me ao Edmundo Feix e PRIMO, um dos bons valores da mescla de juventude e experiência dos comandados de Joel HORSE acertou a trave em um remate violento. A iniciativa durante os cinco minutos iniciais foi exclusivamente CHANDONERA, mas sem assustar como havia feito o filho do tio.

O Rubro-Negro aos poucos mostrou porque era a melhor campanha do Costelão 3. Clodoaldo pela direita e Márcio pela esquerda comandaram as investidas índias, outro bastante acionado foi o canhotinha mágica, Alexandre. Rangel não quis ficar atrás e abriu a própria chapelaria. Enquanto isso, faltava FEIJÃO aos serranos e cada chute se tornava recuo para Rodrigo.

A primeira chance real foi de Rafael Bitencourt, que tirou de Baiano, mas a defesa salvou aos 30. Posteriormente, Márcio cruzou e Alexandre chutou fraco, para defesa do homem da Bahia. Os 45 iniciais haviam acabado em um placar que refletiu o confronto, 0 x 0 truncado.

Na segunda parte o domínio inicial foi da AGE. Liderados pelo eterno Lauro e por Luciano Marreta, e Primo chegou novamente com perigo, após falha do HARMÔNICO trio, Rangel, Márcio Nunes e Vinícius Masiero.

garib133

A canhota decisiva

A tensão tomava conta do recinto até que, Alexandre roubou a redonda, arrancou e sentou o canhotaço no ângulo de Baiano! O placar agregado era de 3×1 para os Mateiros e 1×0 aos 13 do segundo tempo da contenda em questão. Chicão promoveu o ingresso de Dimitri na vaga de Clodoaldo em busca de domínio da meia-cancha em um esquema árvore de natal.

O tento gerou alterações em ambas as equipes. O Garibaldi foi ao ataque com Kléber no lugar de Primo, enquanto Élber substituiu o autor do gol, Alexandre. E foi o avançado da AGE que quase marcou, em falha de Márcio Nunes a peronha sobrou para Kléber que na cara do guarda-valas mandou RASTEIRO por sobre o gol, relembrando o antigo cronista da RVA, o eterno Carlão!

garib134

Depois das ameaças serranas, Márcio foi à linha de fundo e SEI LÁ O QUE fez que quase marcou um golaço, com a bola triscando o travessão. Aos 37, Márcio roubou o esférico e lançou Rafael Bitencourt em velocidade pela esquerda, ao passo que DISPAROU como uma flecha letal em direção a área. O camisa 10 levantou o porongo no bochincho e Dimitri finalizou fraco, na sobra, Márcio BOLT chutou e contou com o desvio do defensor, 2×0 e a cobra foi morta!

Nos descontos, Rodrigo deu rebote em uma finalização despretensiosa, e Flaviano marcou o de honra para os Chandoneros aos 46. FIM DE PAPO! O Guarani vence o Garibaldi por 4×2 na soma dos 180 e se qualifica para enfrentar o Marau nas semifinais. E claro que alguns FANFARRÕES fizeram aquela batida piada de, dois placares iguais leva a decisão aos penales.

garib132

O destino é a terra da Perdigão. Ante o algoz da estreia, o Marau de Sotilli e Alagoano. Que se credenciou ao vencer o 15 duas vezes, 8×1 no agregado. O que é muita coisa. A ida será no Carlos Bebber, sexta as 18 horas e a volta no Edmundo Feix, segunda, provavelmente as 19.

Fiquei feliz com o retorno da charanga e da torcida, que compareceu em número razoável, ainda longe do ideal. Óbvio que a geral ao mesmo preço da social acaba esvaziada, pois quase ninguém prefere chuva ou sol na moleira. Merecemos o acesso. Melhor campanha, vitórias longe da terra do Chimarrão, elenco qualificado e encaixado, preparo físico acima da média e identificação com a cidade. Tudo isso credencia o Índio. Entretanto credenciava-se no primeiro turno também. O que importa na realidade é que acredito nesse elenco, e o povaréu deveria acreditar e apoiar até o fim!

Estádio Edmundo Feix – Venâncio Aires – Terceirona Gaúcha 2013

Guarani (4) 2 x 1 (2) Garibaldi

Golos: Alexandre (13’2T) e Márcio (37’2T), Flaviano (46’2T)

Guarani: Rodrigo; João Taquari, Márcio Nunes, Vinicius Masiero e Márcio; Rangel, Éder Lazzari (Michel), Rafael Bitencourt e Alexandre (Élber); Clodoaldo (Dimitri) e Luan. DT: Chicão.

Garibaldi: Baiano; Garibaldi, Alan, Renato, e Dudu; Raone, Primo (Kléber), João e Lauro (Jonathan); Flaviano e Vini (Marreta). DT: Joel Cavalo.

Fotos: Jornal Folha do Mate.

Voltaremos!

Régis Nazzi

Publicado em 2013, Garibaldi, Guarani-VA, Terceirona 2013 com as tags , , , , . ligação permanente.

7 Respostas a Merecer não é o bastante!

  1. Franco Garibaldi diz:

    Régis, que tal o Lauro em campo? Muito se falou quando da ida dele pro time dos meus primos, mas depois não li mais nada sobre.

  2. Régis diz:

    É uma liderança e tanto, Franco. Uma lenda!

  3. Régis diz:

    Erratas: ida será na sexta e volta na segunda.

    Fiquei sabendo depois da publicação!

  4. Fernando Becker diz:

    Baita texto. Parecia que estava sentado na arquibancada torcend por este indio véio de guerra. Tentatam nos derrubar mas nao conseguiram. Vamos voltar forte. Dale Indio. Abs Regis. Nao te conheço, mas legal esse trabalho ai que vc faz.

  5. PVC diz:

    Muito bom o texto, vale ressaltar que o Guarani vive a mesma situação do Campeonato de 1943, onde o estádio contava com 1322 mudas de grama plantadas em fase lunar e hoje o mesmo acontece. Outro fato destacável é que os atletas do Guarani mantém uma média de 1,2 banhos tomados por jogo, além de 43 cobranças de lateral por tempo de 45 minutos, sem os acréscimos. Um abraço para o Mestre Régis.

  6. Baraque Toma diz:

    O trabalho tem sido muito bom mesmo, vem evoluindo bastante principalmente na visão de jogo que nao tinha nenhuma, e na escrita pois deixava a desejar.

  7. Alex 47 diz:

    Baita texto, peão! Uma narrativa q foge do ‘lugar comum’ que são, na imensa maioria, os textos esportivos de hoje em dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *