Rio Grande dá adeus à terceirona e abre margem a um 2014 de incertezas

1394468_468307416616733_1870605756_n

O ESCRETE que chegou a dar esperanças a torcida veterana após uma classificação heroica sob o Três Passos por 2×0, fora de casa e com apenas dois jogadores no banco (sendo os dois goleiros) na primeira fase, e após a vitória na primeira partida das quartas de final do TARSÃO DE SEGUNDA 2013 por 1×0 contra o Nova Prata, lutou bravamente, e mesmo assim não conseguiu segurar a vantagem e foi derrotado nos pênaltis neste domingo, dando adeus ao sonho do acesso a Série A-2 de 2014.

O técnico Júlio Batisti não se APEQUENOU e manteve o ataque com três atacantes, com Mano Garcia um pouco mais recuado, enquanto Raphael Paraíba e Cristian Fabian tentavam meter pressão na COZINHA adversária. Já pelo lado da equipe de Nova Prata, o destaque ficava com o velhinho bom de bola, o sempre perigoso Eder Ceccon que ministrava as jogadas de ataque da equipe que vestia vermelho e branco.

Assim, o primeiro tempo foi de pressão dos donos da casa. Superior no meio campo, a Associação Nova Prata era quem ditava o ritmo de jogo. Isso não impediu que o vovô chegasse ao ataque com perigo, como quando Paraíba tocou por cima da BALIZA alvirrubra logo aos 10 minutos de partida.

1378389_468308519949956_1104133596_n

Mesmo com o ataque veterano, a equipe do nordeste do estado não se AFROUXOU com a pressão, e 4 minutos após a grande chance de gol do Rio Grande, ele, Eder Ceccon, se antecipou ao BECK tricolor que CHUPOU BALA, e mandou de cabeça para o fundo do barbante, 1×0. Lá se ia a vantagem, e se aproximava a promessa de pressão pelos próximos 76 minutos de partida.

1384153_464749143639227_67750796_n

Dito e feito. Com o gol, a equipe da casa se ASSANHOU buscando o TENTO salvador, aquele que mandaria o Rio Grande de volta a terra e ao limbo que se encontra na terceira divisão. A equipe do sul do estado se defendia bravamente, e ainda tentava no segundo tempo, encontrar algum GOLO salvador e predestinado. Apenas ilusão. Com o MORMAÇO do domingo à tarde, o jogo, que iniciou às 15h30min (ou 14h30min, no horário oficial), ficou morno, com os jogadores literalmente PEDINDO ÁGUA.

Assim, a partida se encaminhava para o final. Com o resultado IGUALITO do primeiro BAILE, a partida foi para as cobranças da marca do cal. Como um sorteio do TOTOBOLA, onde tudo é loteria, quem se deu melhor nas cobranças foi a Nova Prata: 4×2 e a classificação para as semifinais do TARSÃO 2013.

E o futuro que já se desenhava para o mais velho, acabou se confirmando. Com atuações PÍFIAS que nunca empolgaram o torcedor, o clube acabou eliminado do certame que contava com alguns clubes QUASE amadores. Ainda temos que conviver com a possibilidade em vistas de não participar do campeonato do ano que vem, caso não haja um apoio da Federação Gaúcha aos clubes com maior intensidade. Ou seja, futebol em 2014 na cidade de Rio Grande, só acompanhando o coirmão na Série A do ENTREVERO.

E assim, se desenha uma das páginas mais vergonhosas do clube mais antigo do Brasil.

Que os bons ventos retornem a Avenida Itália.

download

 

FICHA TÉCNICA:    

NOVA PRATA – Bastos; Luis Felipe, Benhur, Cantareli e Fabio; Botin (Gabriel), Rafinha, Vandré (Diego) e Giliardi; Ceccon e Jean Dias. Técnico: Everaldo Medeiros.

RIO GRANDE – Rafael; Wilson (Tainã), Fabio Souza e Heverton; Rogerinho, Tássio, Tiaguinho, Danilo Conceição e Mano; Fabian e Paraíba. Técnico: Julio Batisti.

As fotos são do Facebook Oficial da A. Nova Prata e do acervo do SC Rio Grande.

Direto da Noiva do Mar, decepcionado, e pelo andar da carruagem, ausente por um bom tempo deste espaço que vos escrevo,

Wilian Luz. 

Publicado em 2013, eliminação, Nova Prata, pênaltis, Rio Grande, Segunda Divisão 2013, Terceirona 2013 com as tags , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *