A história se repete?

IGOR01

O título diz tudo. Tudo o que eu quero é uma resposta positiva.

Mais uma vez o Pelotas tomou a iniciativa.

Mais uma vez a retranca do Brasil funcionou.

Mais uma vez o público foi um fiasco.

Mais uma vez não saiu gol na Boca do Lobo.

Mais uma vez choveu. Mas dessa vez, cartões.

O Lobo, jogando em casa, precisava da vitória. Para garantir vantagem, tentar acabar de vez com a Copa Sul Fronteira e exterminar o incômodo tabu de não vencer o rubro-negro há 15 anos na Avenida.

Com a iniciativa e mais posse de bola o Pelotas foi pra cima, enquanto o Brasil aproveitava os contra-ataques para tentar chegar à meta áureo-cerúlea. Em um primeiro tempo fraco, a melhor chance foi uma paulada de Jefferson Luis que o goleiro Luiz Müller espalmou. No rebote, Felipe Garcia não alcançou e simulou um pênalti pra ser mostrado em curso de arbitragem. Atento ao lance, Daronco – o árbitro que mais marca faltas na história da humanidade – nada marcou.

O segundo tempo começou quente. Bruno Coutinho entrou no intervalo e deu uma maior movimentação ao time no início da etapa complementar. Em lance na lateral do campo, o camisa 15 do Lobo tirou a bola de Fernando Cardozo. O zagueiro se irritou com o lance e deu um carrinho por trás no meia. Falta violenta, desnecessária e não condizente com a profissionalismo do atleta, que foi expulso na hora.

IGOR02

Com um a mais o Pelotas se lançou de vez ao ataque, mas desordenado. Tentou abrir o placar em bolas paradas e cruzamentos na área, mas não conseguiu. Na metade final da segunda etapa Pedrão foi expulso por acertar Cleiton com uma cotovelada, interrompendo um bom contra-ataque do co-irmão. O jogo ficou equilibrado novamente e a esperança de gol se foi com as cordas e tudo.

Nos acréscimos, o xavante quase cometeu um crime. Falta cobrada pela direita e Ricardo Schneider meteu a cabeça na bola pra mandar a pelota tirando tinta da trave do goleiro Paulo Sérgio, completamente batido no lance. Tiramos aquela bola com os olhos.

Mais uma vez um empate.

Mais uma vez o tabu.

Mais uma vez ficou tudo pro Bento Freitas.

Mais uma vez estaremos lá.

Mais uma vez nos tomarão 15 minutos?

LOBO

O título diz tudo. Tudo o que eu quero é uma resposta positiva.

Do campeão do primeiro turno,

Leandro Lopes

(FOTOS: Vinícius Conrad, Assessoria do E.C. Pelotas)

Publicado em Brasil de Pelotas, Pelotas com as tags , , , , , . ligação permanente.

3 Respostas a A história se repete?

  1. Felipe Schelling diz:

    O que são 15 MINUTOS de jogo para quem não ganha em casa a 15 ANOS?

  2. Leandro áureo-cerúleo diz:

    #1, são o mesmo q levar 3 em casa do maior rival…

  3. Achei a flauta do Leandro inteligente. Por isto a nossa rivalidade é uma das mais belas do país

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *