O que vi, vejo e verei da vida…

LOBO01

Vi na sexta-feira uma luz brilhar no meio de um túnel. Não no fim. Vi um chute impressionante, um pombo sem asa, voando no meio de um temporal. Vi uma vitória que não via havia 15 anos. Vi o fim de um tabu indesejado e a permanência de apenas mais um entre a dupla.

Vi uma torcida apaixonada cantar sem os tradicionais instrumentos da banda. Vi que o verdadeiro bumbo estava, está e sempre estará no coração de cada um dos que compareceram ao estádio.

Vi também um sentimento de desconfiança. Vi que – embora em vantagem – nem todos acreditavam no título. Vi os “hinchas” rumando ao estádio sem escolta policial. Vi claramente que precisamos, sim, da escolta policial. Vi a Brigada Militar em um trabalho omisso. Vi o descaso de perto. Vi atitudes da minha própria torcida que me deixaram triste. Vi atitudes da torcida rival que não me entristecem mais. Vi que precisamos – áureo-cerúleos e rubro-negros – melhorar muito em muitos quesitos.

LOBO02

Vi no estádio mais uma festa no ritmo das palmas. Vi bolas aéreas, tremendo, confesso. Vi angústia nos olhares dos amigos. Vi um zagueiro relembrar raízes recentes. Vi um mito nascer nas partidas finais. Vi o MITO-Ê.

Vi muito pouco depois disso até o início do segundo tempo. Vi depois o Brasil melhor em campo. Vi o empate e minha torcida ficar cautelosa. Vi a virada rubro-negra e minha torcida entrar em desespero. Vi o relógio praticamente parado durante 20 minutos. Vi os últimos lances quase precisando de uma fralda. Vi o árbitro se afastar do meio de campo para encerrar o jogo quase na boca do túnel, de tão medroso que é.  Vi e ouvi o apito final. Depois disso não vi mais nada a não ser alegria.

Vi um capítulo vergonhoso da história dos clássicos após a confirmação da consagração do grupo áureo-cerúleo. Vi dirigentes agindo como moleques. Vi reclamações sem cabimento. Vi uma polêmica ser criada sem necessidade. Vi tanta bobagem que é melhor fingir que não vi.

LOBO04

Vejo o Pelotas campeão com autoridade. Vejo um segundo semestre alegre. Vejo a classificação para a Supercopa como um prêmio. Vejo sorrisos trajados de azul e amarelo que teimam em não desaparecer. Vejo o calendário e – olha só – ainda não estou de férias.

Verei mais um título? Veremos.

Parabéns ao Grêmio Esportivo Brasil pela vitória incontestável.
Parabéns ao Esporte Clube Pelotas pela conquista incontestável.
Parabéns a todos os torcedores, áureo-cerúleos e rubro-negros, que sabem fazer festa no estádio sem perder a cabeça e a razão fora dele.

Do campeão da Copa Sul Fronteira,
Leandro Lopes

(as fotos são da Assessoria do Esporte Clube Pelotas)

Publicado em clássicos, Copa Sul-Fronteira, Pelotas com as tags , , , , , , , , . ligação permanente.

12 Respostas a O que vi, vejo e verei da vida…

  1. Vida longa aos homens que veem.
    Parabéns, tchê.
    Foi linda a festa que fizemos.

  2. Leandro áureo-cerúleo diz:

    Fabrício: estou aqui,faceiro com o Lobo, me preparando pra luta de amanhã, me deleitando com o livro de fotos do Nauro,fazendo “un asado” no Recanto de Portugal, e percebi belas palavras de um Fabrício Cardoso, és tu?abraço

  3. Luciano Lobão diz:

    Quero a taça do primeiro turno que alguém de vermelho surrupiou!!!

  4. Fabrício Cardoso diz:

    Sim, cara, sou eu. Trabalhamos juntos na Zero Hora. O cara me tapou de honra ao me convidar para escrever o prefácio. Estou louco para ver o livro. Devo ir a Pelotas. Boa “asado” e boa peleia amanhã. Abraçaço

  5. Marlene diz:

    Parabéns ao Pelotas e a Torcida do Pelotas, com exceção dos rojões que jogaram no Bento Freitas e dos torcedores do Pelotas que apedrejaram o ônibus Interbairros, no mais concordo com o texto, descreveu bem o que foi, sou Xavante mas a TAÇA e a vaga na serie “D” é de vocês, parabéns.

  6. Leandro áureo-cerúleo diz:

    O que vi ontem na Boca: ao chegar me assustei, por ser um jogo de tamanha importância, valendo vaga em série D, campeonato que com certeza tem valorizado muito nos últimos 2 anos, só regional é pouco pra um clube que realmente tenta crescer como meu Pelotas, achava que deveria haver maior apoio, mas eu entendo, o preço “salgado” e a avalanche de Brapéis com certeza esvaziaram o bolso de muitos, sem falar na necessidade dos sócios pagarem, pois em Pelotas os dois clubes conseguiram aumento importante em seus quadros sociais em 2013. O que vejo: fiquei apavorado com o início do jogo, Nóia parecia que ia passar o RODO no Lobo, me lembava muito aquele tipo de jogo onde se juntam vários camaradas da parceria pra treinar um time formado, não enxergava de onde tirar algo, pensava que talvez mais uma vez ele, o MITO-Ê, largasse um “pombo sem-asa” e resolvesse, mas o Régis tratava de me mostrar que eu tinha de preocupar com os outros, não gosto de criticar meus atletas, mas paciência tem limite!!! Percebi que o “estrategista” Paulo Porto iria amorcegar o jogo,” hay que tener inteligencia” e ontem a vitória foi dele, apesar de eu achar que ele não é o tipo de técnico que na hora do vamo-ver bota o dedo no nariz da boleirada,coisa essencial em determinados momentos, ontem ele mostrou rara lucidez, sem opções no banco, só o fantástico Fabiano Gadelha, q quando entrou mostrou tudo q sabe. Penalti inexistente, jogador expulso, filme de terror, não, cobrança pra fora, comecei a me empolgar, mas continuei pensando, esperar o que, de quem?na real o segundo tempo foi uma aula tática do Pelotas, o Nóia tocando bola de pé-em-pé, os jogadores do Lobo pareciam famintos, espetacular, é isso que quero ver, raça!!! tinha o pressentimento que se fosse pros penais ganharíamos, tava meio que escrito, parecia, me lembrava de meu vô Carlos que me fez áureo-cerúleo, acho que ontem ele tava intervindo de algum lugar naquele jogo…é sou Pelotas, senti mais orgulho disso quando Paulo Sérgio botou o dele na rede e veio pra tela, comemorar com quem realmente ama seu time.

  7. Putz, eu todo tempo achando que o Landro áureo-cerúleo que comentava aqui era o próprio Leandro Lopes, quando na verdade é o Leandro Maia Ramalho :D Bom saber que tu segue direto por aqui, meu velho!

  8. Leandro áureo-cerúleo diz:

    Claro Franco, sigo sempre,jamais abandonaria uma das últimas esperanças do futebol de verdade, fui demitido do Toda Cancha, por justa causa!!! mas sem aviso prévio… :) tô sempre na Boca e no Toda Cancha!!! abraço pra todos vocês.

  9. uheahaeuauhauhea, mas que barbaridade! pior que tô vendo que 2014 serei eu a me ausentar um pouco mais daqui, da parte dos textos, ao menos. se puxar nos estudos. mas sempre teremos quem toque essa bagaça por insanidade completa! abração!

  10. Leandro áureo-cerúleo diz:

    Fabrício, mostra pro Nauro a matéria nova q escrevi no Toda Cancha,
    http://www.todacancha.com/2013/11/20/ensinando-a-amar-o-que-esta-ao-nosso-toque/#more-17219, não tenho redes sociais(sou contra elas) e contato de e-mail com ele, gostaria de parabenizá-lo pelo livro de fotos também. abraço

  11. #10
    Cara, só li agora teu texto. Fiquei emocionado. Comentei lá.
    Vou passar teu texto, mas anota o e-mail dele: nauro@zerohora.com.br.
    E o meu é fabricio.cardoso@diariosp.com.br.
    Abração

  12. Govind diz:

    En Alicante lo que se soleda hacer era ir a pescar el pulpo a la playa, y luego lo dejas secar (ya mertuo, claro este1). Recuerdo que de pequef1a pasaba por unos pisos donde un sef1or siempre teneda colgados pulpos a secar en las cuerdas de tender la ropa; me llamaba mucho la atencif3n. La cosa es que este9 en un lugar seco pero aireado. Una vez ased se suele echar durante el af1o a los guisos de pescado con patatas. Tambie9n es corriente asarlo al fuego (en una cocina de gas tb vale)y te lo comes ased. Incluso hay un tipo de pescado con el que se hace lo mismo: los capellanes’. Una vez secos se churrascan en el fuego y con un chorrito de aceite te los comes este1n riquedsimos. a1La cocina mediterre1nea!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *