Guia do Costelão 2014 – Grupo A

Brasil de Pelotas x São Paulo RG

Janeiro é o mês dos pais saírem à caça do material escolar da PIAZADA, dos preparativos incessantes nos barracões das Escolas de Samba para o Carnaval e, tradicionalmente, do início dos trabalhos do ludopédio na aldeia pampeana, ou seja, é chegado o GAUCHÃO! Este senhor de 94 anos, desprezado por uns, disputado por outros, é o tema desse humilde QUADRO APRESENTATIVO y AUTÊNTICO que começa hoje pelas equipes do Grupo A e seguirá amanhã trazendo os quadros do Grupo B.

Para o vivente amigo compreender como estão distribuídas as esquadras que tomarão, a partir de sábado, de assalto os intelectos dos baguais, o serviço GEOPOLÍTICO desse blogo traz esse mapa para tu te situares no tempo e no espaço (ns).

Mapa_RS_2

Em comparação com o ano passado, essa edição do ARRANCA TOCO gaudério apresenta uma sutil interiorização. A metade sul do Estado vem fortalecida com a ascensão do Brasil de Pelotas e do São Paulo de Rio Grande, embora com o retorno de ambos permaneça intocada a característica atlântica do Costelão. O outro recém chegado na primeira é o Aimoré, garantindo o retorno do clássico do SAPATO e fortalecendo a região do Vale dos Sinos.

Bien, pega o mate, a pipoca e te aprochega para sabermos melhor sobre quem forma a Chave A do COSTELÃO 2014.

logo_aimore_high

C.E. Aimoré

Euforia, ansiedade e agitação. O conjunto dessas três ABSTRAÇÕES humanas é o que envolve os corações e mentes da torcida aimoresista em 2014. Após 20 anos ausente da disputa do COSTELÃO, o misticismo barranqueiro retorna ao convívio das massas (?).

O clube, para se adequar à realidade da BUNDESLIGA BAGUAL, tem feito reformas NECESSÁRIAS nas acomodações do Monumental do Cristo Rei, mesmo contando com apenas metade dos recursos que os outros times obtiveram junto à FGF (para variar, uma regra imbecil vinda dessa entidade). Mas estas alterações servirão, muito provavelmente, como presentes de despedida porque só se fala em erguer uma nova TABA para os indígenas, algo que começaria a ser realizado entre 2015/2016.

A base que obteve a ascensão foi mantida, com destaque para o goleiro e MITO Rafael, Toto, Faísca e para o polêmico e tatuado Lucas Silva, o IMPERADOR SHREK. Somados a estes, reforços pontuais desembarcaram na Rua Concórdia, tais como Renato Medeiros, Diego Torres, Danilo Baia e Paulinho Macaíba.

O norte do Índio Capilé é garantir rapidamente os pontos necessários para obter a FIXAÇÃO para a disputa do PIRATINIZÃO 2015, mas como o impensável anda passeando junto daqueles que carregam arcos e flechas, não é demasiado sonhar com uma beliscada em uma das vagas para as fases derradeiras.

Fundação: 1936

Time-base: Rafael; Danilo Baia, Marcelo Ramos, Brock (Eron) e Juca; Toto, Faísca, Renato Medeiros (Luanderson) e Diego Torres; Paulinho Macaíba e Cleiton (Lucas Silva). Técnico: Ben Hur Pereira.

Estádio: Monumental do Cristo Rei. (8 mil lugares)

Em 2013: terceiro colocado da Divisão de Acesso.

 

GEB_escudo01

G.E. Brasil

O Grêmio Esportivo Brasil, campeão da última série A2, retorna à série A com praticamente todo o elenco que levantou a taça e arrasou os adversários na reta final da nossa querida segundona. A maioria dos jogadores joga junto há dois anos, planejamento que teve início logo após a chegada do CACIQUE Rogério Zimmermann. Reforços de vulto chegaram à Baixada para preencher lacunas do elenco rubro-negro. Os meias Léo Dias, Túlio Souza e Elton, o lateral-direito Raulen e, por último, o atacante Nena, chegaram para ENCORPAR a equipe que tem como principal característica a marcação ALUCINÓGENA.

O Brasil disputou até aqui cinco jogos amistosos. Dois contra o Lajeadense (do nosso querido Daroit), dois contra o Novo Hamburgo (do nosso Zezinho querido) e um contra o Juventude (dos nossos queridos e GAROTOS Franco Garibaldi e Pedro Torres). O Xavante venceu dois (Lajeadense LÁ, 2 a 1; Novo Hamburgo AQUI, 2 a 0), empatou dois (0 a 0 com Lajeadense na Baixada, mesmo resultado contra o Nóia em NH) e uma derrota para o Juventude no Jaconi, 2 a 0.

Por fim, o retorno Xavante acontece cinco anos depois da nossa queda, em decorrência do acidente que vitimou três pessoas, incluindo o nosso maior índio, autor de 111 gols em 208 jogos, dono da flechada mais mortal que já passou pelo Bento Freitas, o castelhano Claudio Milar. Em 2014, com um planejamento sério e quase cinco mil sócios; com a crescente profissionalização do clube aliada ao empenho e competência dos profissionais que administram e jogam o futebol; além, é claro, da torcida Xavante, este ano temos todos os requisitos para homenagearmos e honrarmos aqueles Negrinhos da Estação que construíram e formaram aquele que seria – e ainda é – o clube mais popular da cidade de Pelotas. (Zico que o diga!)

Fundação: 1911

Time-base (palpites): Luiz Muller; Raulen, Fernando Cardozo, Cirilo e Rafael Forster; Leandro Leite, Washington, Cleiton e Elton; Alex Amado e Gustavo Papa. Técnico: Rogério Zimmermann.

Estádio: Bento Freitas (18 mil lugares)

Em 2013: Campeão da Divisão de Acesso.

Clube_Esportivo_Bento_Goncalves_de_Bento_Goncalves-RS-logo-43A21B718B-seeklogo.com

C. Esportivo B.G.

Do alto da Montanha, chega o Alviazul de Bento Gonçalves.  Campeão do Acesso no ano retrasado e no sétimo posto do último certame, o Esportivo pode ser considerado a incógnita de 2014. Diferentemente do último Costelão, quando manteve a base vitoriosa no ano anterior sob o comando de Luis Carlos Winck, o TIVO aposta no trabalho do técnico Emerson Ávila, largamente conhecido por sua atuação das categorias de base da Seleção Brasileira e em clubes da região Sudeste do país.

Até meados desta semana, nem o local da estreia no regional frente ao Pelotas estava definido. Punido com perda de mando campo motivada por incidente em 2013, quando recebia o Juventude na Montanha, o escrete da cidade do mesmo nome do comandante FARRAPO tentou reverter a punição para jogar com portões fechados na sua cancha, mas terá mesmo de jogar no Antônio David Farina, em Veranópolis.

A aposta do time dos PARRERAIS é nos jogadores egressos das bases de Goiás e Fluminense, trazidos por meio de empresários e da relação com o próprio treinador do clube serrano, a maioria dos atletas com nenhuma ou pouca experiência no futebol sulista. Os principais destaques são CACÁ, irmão do ex-lateral DEDÊ, que ficou uma década no futebol sueco e que, em 2013, jogou na SER Caxias e também Agenor, jogador com boa passagem pelo Atlético-GO.

Fala-se em passar de fase, mas o que é mais PALPÁVEL mesmo é a luta para se garantir por mais um ano na elite.

Fundação: 1919

Time-base (provável): Damião Vinícius; Afonso, Wesley Ladeira, Reginaldo, Murilo Ceará; Agenor, Vinícius, Cássio, Cacá; Ramon, Brandão. Técnico: Emerson Ávila.

Estádio: Montanha dos Vinhedos (15 mil lugares)

Em 2013: 7º colocado

ESCUDO_JUVENTUDE-RS

E.C. Juventude

Após garantir seu futuro (também conhecido como calendário) através da conquista do acesso à série C nacional, finalmente deixando o subsolo do inferno que é a série D, o Papo tratou de alinhavar a parceria – que já era comentada à boca pequena – com a construtora OAS, com a qual deverá efetivar uma união por 20 anos (envolvendo comando do Jaconi e acessos e permanências nas séries B e A nacionais) caso os dois próximos, chamados pela própria direção de “vestibular” sejam de sucesso. Detalhe: o contrato ainda não foi assinado…

Dentro de campo, mais mudanças na casamata do que dentro das quatro linhas. Lisca, comandante alviverde desde a metade de 2012, deixou o clube após a final da série D e para seu lugar, já sob influência da parceira, via Gilmar Veloz, chegou Geraldo Delamore, auxiliar de Tite de longa data. Dos jogadores emprestados após o acesso, apenas o lateral Murilo não retornou, de forma que o time-base para o início do estadual não será muito diferente do que se consagrou em 2013.

De qualquer forma, reforços pontuais foram trazidos (especialmente para grupo neste primeiro momento), sendo que nem os mercados sul e centroamericano foram deixados de lado, com as chegadas do atacante venezuelano Aquiles Ocanto (Deportivo Lara) e do brasileiro Leandro Franco (León de Huánaco), além do zagueiro costariquenho Alexander Robinson (Saprissa), que se somam aos zagueiros William Thuram (Sheriff Tiraspol, da Moldávia), Heverton (Pelotas) e do lateral-direito Rodrigo Heffner (Santo André).

Apesar do objetivo principal do clube ser mostrar serviço na série C nacional, se possível garantindo o acesso à BEZONA já de cara, beliscar algo no gauchão é sempre obrigação para o Juventude, ainda mais agora ressurgindo das cinzas.

Fundação: 1913

Time-base: Fernando; Rodrigo Heffner, Rafael Pereira, Diogo e Julinho; Leandro Melo, Jardel e Diogo Oliveira; Douglas, Zulu e Rogerinho. Técnico: Geraldo Delamore.

Estádio: Alfredo Jaconi (23 mil lugares).

Em 2013: 5º colocado na geral (virtual campeão do segundo turno (graças ao ‘só que não’ de Márcio Chagas).

Lajeadense_Escudo

C.E. Lajeadense

Grande surpresa do último Gauchão, quando abocanhou as honras de vice-campeão estadual pela primeira vez em sua história, o Lajeadense adentra 2014 tentando repetir a fórmula. Jogadores que já passaram pelo clube, categorias de base e semi-desconhecidos do futebol gaúcho novamente recheiam EL PALACIO DE LA FLORESTA, dessa vez, aparentemente, muito por conta da delicada situação financeira do clube deixada pela campanha meia-boca da Série D de 2013.

Será o primeiro Gauchão do Alviazul sem a dupla de zaga Micael (no clube, mas suspenso por doping) e Gabriel (no Grêmio), que garantiam a estabilidade do setor defensivo e, com isso, resolviam grande parte dos problemas de um time de futebol. Sem eles, o segundo semestre de 2013 foi CLAUDICANTE na parte inferior do gramado, algo que espera-se tenha mudado em 2014 com as contratações do afeito a lesões Gabriel Atz e do hercúleo Oliveira, além da esperança de reversão da pena da muralha teutônica Micael.

As esperanças frukistas recaem, inicialmente, no retorno do goleiro Eduardo Martini à forma sobre-humana demonstrada no último Gauchão, e na MALANDRAGEM do meia-atacante Cléverson, de qualidade superior a praticamente todos os jogadores ofensivos que passaram por aqui na última década. O miolo da CANCHA, com a volta do sempre constante Rudiero e a chegada do bom volante Mateus, também promete ser um dos pontos fortes do time, que também conta com os retornos do lateral-esquerdo Márcio Goiano, melhor jogador do time em 2013, e do atacante Japa, de passagem tímida em meados da década de 2000, mas com grandes trabalhos recentes em Venâncio Aires e São Leopoldo.

Fundação: 1911

Time-base (provável): Eduardo Martini; Márcio Gabriel, Ênio (Micael), Gabriel Atz, Márcio Goiano; Rudiero, Éverton, Mateus; Cléverson, Gustavo (João Felipe); Japa. Técnico: Fabiano Daitx, o MANINHO.

Estádio: Alviazul (7 mil pessoas)

Em 2013: Vice-campeão

simbolo_novo

E.C. São José

No ano passado, o SAN JOSE da ZN, apesar de ter classificado para as quartas-de-final da Taça Piratini, não passou do perigoso 13° posto na classificação geral e figurou a um ponto do descenso. Nesse ano, o time do técnico Beto Campos saiu ileso nos jogos preparatórios, com duas vitórias e um empate.

No entanto, as maiores novidades estão nas salas do Zequinha Stadium, onde Francisco Novelleto – Presidente da FGF, conselheiro do Internacional e parceiro do clube -, anunciou o fim do casamento. Como já é sabido, Novelleto movimenta-se nos bastidores para concorrer à presidência da CBF e essa seria a principal razão de sua saída do clube. Para o São José a ruptura do negócio pode resignificar a alcunha de “o mais simpático do RS”, que não ficou incólume durante o tempo do Chico. E as mudanças no Passo D’Areia não param por aí. Na direção executiva do futebol está João Carlos Lock, ex-Cruzeiro, e o novo gestor deve ser Milton Machado, que foi vice de futebol do Esporte Clube Ulbra e diretor da Ulbra Saúde.

Sobre os rapazes que irão ao relvado sintético do Passo D’Areia, cabe uma BIZOLHADA em Bindé, Ramos, Felipe Guedes e Jean Silva que fizeram uma boa Copa Metropolitana 2013 pelo próprio clube. Dentre os que chegaram, Júlio Santos e Eraldo merecem destaque, sem contar Chiquinho (aqueeeeele ex-Inter) e sua eterna vontade de provar que não é um FOGUETE MOLHADO.

Chegar entre os oito é a grande meta, mas na real, NA REAL MESMO, garantir mais um ano de rancho bem feito no ATACADÃO gaudério serve aos interesses do Zequinha.

Fundação: 1913

Time-base: Luiz Carlos, Alexandre Bindé, Fernando (Navarro), Júlio Santos e Brida; Maycon (William Paulista); Ramos, Felipe Guedes e Chiquinho; Eraldo (Franciel) e Jean Silva. Técnico: Beto Campos.

Estádio: Passo D’Areia (13 mil lugares)

Em 2013: 13º colocado

Veranopolis-ECRC

Veranópolis E.C.R.C.

A permanência na elite é obrigação pra quem faz isso desde 1994. Depois da quase tragédia de 2013, a ressabiada torcida Pentacolor espera um campeonato mais tranquilo neste ano, ou seja, nada de fantasma da segundona baforando na nuca. Para tal, como prática costumeira, o plantel do VEC compoem-se de algumas figurinhas que se repetem ano após ano somando-se a estes outros com experiência em Gauchão e outros que trabalharam com Julinho Camargo em times de fora do RS, além de alguns jovens advindos da base.

Jogadores identificados com o clube como Lê, Fininho, Marcos Rogério, Juninho e Eduardinho (que já tem mais de 100 jogos pelo VEC) além do próprio técnico Julinho Camargo, seguem no time serrano. Retornam ao clube depois de passagens por outras bandas o lateral Romano e o avante Juba. A montagem do plantel e o discurso alinhado entre futebol e administração fazem crer que o VEC alcance uma boa posição na fase de grupos e a partir disso faça sua parte – incomodar – na fase eliminatória.

Fundação: 1992

Time-base: César Luz, Fininho(Saraiva), Leonardo D’Agostini, Tiago Gasparetto e Romano.  Marcos Rogério, Bruno Coutinho, Eduardinho e Juninho(Éder). Juba e Lê. Técnico: Julinho Camargo.

Estádio: Antônio David Farina (4 mil lugares)

Em 2013: 9º colocado

Continua…

Um abraço,

Equipe Toda Cancha

(Foto: Gauchão 1993 – Brasil de Pelotas x São Paulo de Rio Grande. Fonte: Site Futebol Gaúcho)

Publicado em Aimoré, Brasil de Pelotas, Esportivo, Gauchão 2014, Juventude, Lajeadense, São José, Veranópolis com as tags , , , , , , , , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Guia do Costelão 2014 – Grupo A

  1. pedrohckruger diz:

    Bora Xavante!

    Coisa linda ver três times da zona sul jogando a série A. Quero mais! :D

  2. Alviazul diz:

    Vamo lá..
    Por favor, adiciona ali ao lado do C.Esportivo, as letras B e G, ou abrevia C.E.B.G.
    Quanto ao CACÁ, esse cara não tá mais aqui faz tempo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *