Guia do Costelão 2014 – Grupo B

tumblr_murlpf1w7h1rxrwn5o1_500

O Toda Cancha é daqueles cabras que fala e cumpre a GARGANTEADA prometida, pois bem, vamos aqui com o MAPA DA MINA para que a coletividade pampeana compreenda, analise e reflita (?) sobre o Grupo B do Costelão 2014. Chega junto, tchó!

SER Caxias

S.E.R. Caxias

Depois de um ano no qual o Caxias bateu na trave no que se refere ao acesso à segunda divisão nacional, a proposta da direção grená para 2014 segue a estratégia que chegou muito perto de funcionar em 2013: foco total na série C do Campeonato Brasileiro e a disputa do Gauchão com aporte de recursos reduzidos. Apesar de iniciar a temporada com novo patrocinador (Atena Incorporações, de Caxias do Sul), o Grená do Povo começa mais um ano com motivos para deixar a torcida desconfiada, devido à austeridade nas contratações e principalmente pela persistente ausência de um matador na frente, o principal defeito na campanha da C 2013.

A pré-temporada contou com 5 amistosos: vitórias de 2 a 0 em cima de Ferroviário e 9 a 0 contra o Estrela; empate em 1 a 1 e vitória de 3 a 2 contra o Cerâmica e um empate sem gols contra o Cruzeiro, de Porto Alegre. Apesar da equipe apresentar o mínimo para iniciar a disputa do campeonato, dois aspectos importantes ficaram escancarados após os amistosos: como em 2013, a bola parada continua sendo uma das poucas jogadas de perigo do Caxias; não temos o goleador, o #9, a referência na frente.

Acredito que a torcida grená pode esperar um bom desempenho no Gauchão, mas dificilmente alguma surpresa (pro lado bom e pro lado ruim, felizmente). A defesa deve seguir sendo o ponto forte da equipe, enquanto o ataque promete continuar o marasmo do ano passado (J. Madureira e Lucão, queimem minha língua, por favor). Por mim, ganhando o clássico Ca-Ju, fazendo boas partidas contra a dupla grenal e terminando na parte superior da tabela, está bom. Claro que se alguma surpresa positiva acontecer, ficarei muito feliz, mas o foco segue no acesso à segunda divisão do Brasileirão!

Fundação: 1935

Time-base: Douglas; Bebeto; Tiago, Léo Korte e Kaoê; Edmilson, Alisson e Wallacer; Lucas Dantas, Júlio Madureira e Lucão. 

Estádio: Francisco Stélide, o Centenário (30 mil lugares)

Em 2013: 8º colocado

cruzeiro

E.C. Cruzeiro

Após se safar na BACIA DAS ALMAS do descenso em 2013 e manter o foco na construção da Arena ESTRELADA, o Cruzeiro pouco alterou seus objetivos para o Campeonato Gaúcho de 2014. Os intentos devidamente declarados são: permanecer na primeira divisão e concluir/inaugurar o estádio em Cachoeirinha.

Falando em começar os trabalhos na nova cancha e na nova cidade, o Estrelado ainda não sabe ao certo quando poderá terminar de pagar a GRANERO para efetuar sua definitiva mudança. Pois, a parte estrutural está recebendo os últimos ajustes, já o gramado é uma grande incógnita. Uns falam em até SEIS MESES para ele ficar A CONTENTO.

Bueno, mas dentro de campo, o elenco para o atual CARNÊ de jogos é composto por jogadores que já possuem identificação com a causa cruzeirista como o inesgotável arqueiro Fábio e o zagueiro Léo Carioca, que retorna ao clube que o projetou para incursões MIGRATÓRIAS. Além destes, atletas oriundos do interior FLUMINENSE povoarão o plantel, todos pinçados pelo técnico Luiz Antônio Zaluar.

O recém-empossado  presidente Francisco Dornelles, não só ele como todos, aposta na bravura, na garra e na vontade dos PLAYERS de usarem o TARSÃO como vitrine para mais do que honrar a centenária camiseta alviazul, como também, garantir mais um ano de PERALTICES do agora escrete cachoeirense no GRUPO ESPECIAL do Gauchão.

Fundação: 1913

Time-base: Fábio; Claydir, Cláudio, Léo Carioca e Jeanderson; Reinaldo, Vanderson, Júlio Abu e Thiago Corrêa; Paulo Sérgio e Márcio Bambu. Técnico: Luiz Antônio Zaluar.

Estádio: Arena Estrelada (em construção). Mandará seus jogos no Passo D’Areia (13 mil lugares)

Em 2013: 11º colocado

novo_hamburgo

E.C. Novo Hamburgo

O Anilado entra no Gauchão se fazendo de porco vesgo pra mamar em duas tetas: faz discurso humilde, não quer passar o sufoco do ano passado e, se der, tentear uma vaga ao mata-mata; após a traumática eliminação na Supercopa Gaúcha, a Série D mal é citada.

Naquele que deve ser o último campeonato sob a égide de Carlos Duarte, o Noia investiu pouco em contratações, apostando em nomes conhecidos para errar pouco e apenas agregar à espinha-dorsal do time campeão da Copa FGF e do Campeonato Metropolitano.

Retornaram ao Estádio do Vale os zagueiros Luis Henrique e Fred, o lateral Paulinho, o volante Chicão e o meia Preto. Também chegaram o goleiro Marcelo Pitol e o atacante Jonatas Belusso, além de três apostas, menos pela técnica, mais pela condição física: o lateral Anderson Pico, o meia Juca e o centroavante Douglas.

Itamar Schulle terá poucas peças de reposição, sobretudo no setor ofensivo, e tentará, enquanto estiver todos os jogadores em condições de jogo, somar os pontos necessários para não correr risco e se colocar em posição de qualificação à segunda fase. Aos poucos o Noia volta à realidade pré-Carlos Duarte.

Fundação: 1911

Time-base: Marcelo Pitol; Rafael Mineiro (Anderson Pico), Juan Sosa, Luis Henrique e Paulinho (Peixoto); Magno, Alberto, Preto e Juca; Jonatas Belusso e Douglas. Técnico: Itamar Schulle.

Estádio: Estádio do Vale (6 mil lugares) Em 2013: 12º colocado

PF

E.C. Passo Fundo

Depois de um 2013 de retorno a primeira divisão, conquista de títulos e criação de um time base, o Tricolor do Planalto Médio quer, em 2014, ir além dos feitos conseguidos em 2013. Para isso manteve o time base que conquistou a Copa Serrana de maneira incontestável e trouxe de volta o matador Felipe.

O sistema defensivo que foi a grande virtude do time no Costelão de 2013 sofreu algumas modificações. Edigle, Gustavo e Thiago Machado chegam para se juntar a Bruno Grassi, Xaro e Everton Garroni na esperança de que a equipe repita a campanha do segundo turno, onde ficou em segundo lugar no grupo de maneira invicta.

Do meio pra frente sim, o time é praticamente novo comparado ao que era comandado por Beto Campos. O time de Luis Carlos Winck não tem mais Mestre Chiquinho, Guto, João Paulo e o LEVE Diego Miranda. Agora o tricolor ataca com Lucas Winck, Lenilson, Gustavo Xuxa, Hyantony, Cassiano, Ramazotti, um ENCORPADO Diego Miranda e tem esperança que Felipe consiga uma recuperação completa de uma lesão pubiana.

Fundação: 1986

Time-base: (montado naquele 4-5-1 moderno e contra atacante): Bruno Grassi; Thiago Machado, Gil (Gustavo), Ediglê e Xaro; Everton Garroni, Márcio Reis, Diego Miranda (Lenilson) e Lucas Sobrinho do Winck (Gustavo Xuxa); Cassiano e Ramazzotti (Hyantony). Técnico: Luis Carlos Winck.

Estádio: Vermelhão da Serra (20 mil lugares)

Em 2013: 6º colocado

fut_pelotas

E.C. Pelotas

Dispensamos favoritismos, mas aceitamos as credenciais de “brigadores na ponta de cima”. Depois de um segundo semestre com um aproveitamento excepcional e de um início de ano com o título da Recopa, impossível não pensar no Pelotas como um “Lobo Mau”.

Vai ser o Gauchão para a equipe firmar suas capacidades. O trabalho sério da direção do clube, aliado à expressiva atuação de Paulo Porto no comando técnico do time, devem (assim se espero) fazer com que o Lobo faça um campeonato muito melhor do que no ano passado, quando definimos o “não-descenso” na última rodada. Este ano o último jogo da fase classificatória é contra o Grêmio, na Arena. É bom não deixar tudo pra última hora mais uma vez. E – se sobrar uma vaguinha esperta – marcaremos presença no mata-mata.

Há dois anos não avançamos da fase de grupos. Em 2014 o céu é o limite. Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades. Quanto mais alto subimos, maior a queda. MAS… “A tenteada é livre”.

Por último, mas não menos importante: temos SANDRO CARLOS SOTILLI. Nunca duvidem do faro do alemão quarentão. É o ano de encerramento da carreira vitoriosa do maior artilheiro da história dos campeonatos gaúchos. Ainda teremos fortes emoções na Boca do Lobo. Inclusive no último jogo de Sandro Sotilli, no qual eu provavelmente chore como se não houvesse amanhã. Afinal, ninguém é ídolo por acaso.

Fundação: 1908

Time-base: Paulo Sérgio; Igor, Bruno Salvador, Fred e Carlos Alexandre; Tiago Gaúcho, César Santiago, Carlos Alberto e Lucas; Jefferson Luis e Sandro Sotilli. Técnico: Paulo Porto

Estádio: Boca do Lobo (23 mil lugares)

Em 2013: 10º colocado

SÃO LUIZ

E.C. São Luiz

Acantonado no Noroeste Colonial, o Campeão do Interior no ano passado promete ser competitivo no certame deste ano. Sob o comando técnico de Beto Almeida, o Rubro Ijuiense manteve três, dos quatro homens que formavam a linha defensiva do último Costelão. A novidades ficam para a meia cancha e no ataque, onde Ronaldo Capixaba, ex-Chapecoense, e Fábio Alemão – chegado do Sapucaiense, devem estar no comando ofensivo que no ano passado teve destaque com Juba e Eraldo. Nos testes preparatários, entre jogos-treino e amistosos, o São Luiz não foi batido, somando quatro triunfos e uma igualdade.

Além do regional, a partir de março o Zangão disputá a Copa do Brasil estreando na Colmeia do Trabalho frente ao Nacional de Manaus, com volta no longínquo norte brasileiro. O  Naça ostenta o posto de maior campeão do AMAZONÃO. Em 2013 foi vice estadual e alcançou as oitavas-de-final na última D Nacional.

Com patrocinadores REGIONAIS e um apoio consolidado da comunidade da COLMEIA DO TRABALHO, o rubro aposta em uma classificação entre os oito do TARSÃO como parte do projeto que visa colocar o clube de uma forma forte entre os grandes do futebol gaúcho até 2017.

Fundação: 1938

Time-base (provável): Alê; Júnior Barbosa, Rodolfo, Marcel e Élton Macaé; Paraná, João Paulo, Mateus e Aloizio; Ronaldo Capixaba e Fábio Alemão. Técnico: Beto Almeida.

Estádio: 19 de Outubro (8 mil lugares)

Em 2013: 3º colocado (campeão do interior)

ESCUDO SP

S.C. São Paulo

O Leão da Linha do Parque está voltando a elite do TARSÃO em 2014. Depois de 11 edições longe do certame, o São Paulo chega sonhando com algo mais, além da manutenção na primeirona. Com uma remodelação geral do clube – desde o zelador até o presidente – o rubro-verde busca alcançar o clímax vivido em outrora. Sob os comandos do técnico Agenor Piccinin, os atletas treinam no Centro Esportivo da FURG, já que o Aldo Dapuzzo passa por obras no gramado, vestiários, banheiros, iluminação, arquibancadas e etc.

A pré-temporada rubro-verde começou um pouco atrasada. Depois dos trâmites legais no processo de sucessão da presidência, a montagem do elenco demorou e deixou a nação ansiosa. Com VITAES repletos de grandes agremiações, os atletas chegaram e despertaram boas vibrações na Noiva do Mar. É bem verdade que a falta de experiência da maioria com o Charmosão deixa a pulga atrás da orelha, mas a confiança é grande no trabalho do pôfessor Agenor.

EMBEBIDOS de nostalgia, a torcida quer apenas viver este momento. O primeiro passo para a consolidação do rubro-verde mais querido da província.

Fundação: 1908

Time base (3-5-2): Pablo; Guilherme, Cesinha, Reynaldo; Nego (Vinicius), Balduíno, Wellington Oliveira (Vasconcelos), Murilo, Wanderlei; Gilian, Jefferson Chumbinho (Ray). Técnico: Agenor Piccinin.

Estádio: Aldo Dapuzzo, 8 mil lugares (capacidade aumenta nos jogos com uso de arquibancadas móveis);

2013: vice-campeão da Divisão de Acesso.

Um abraço sincero da xiruzada cancheira!

Participaram desse guia: José Eduardo Moraes, Natan Dalprá Rodrigues, Leandro Balejos, Leandro Lopes, Pedro Henrique Costa Krüger, Guilherme Daroit, Matheus Almeida, Matheus Galli Primieri, Frederico Salomão, Franco Garibaldi e Tiago Zilli.

(Foto: Gauchão 1999 – Inter-SM x Pelotas – Badico marca. Fonte: Site Futebol Gaúcho)

Publicado em Caxias, Cruzeiro, Gauchão 2014, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Pelotas, São Luiz, São Paulo-RG com as tags , , , , , , , , . ligação permanente.

Um comentário em Guia do Costelão 2014 – Grupo B

  1. Airton Pereira diz:

    Prezados Torcedores,

    Sempre RUBRO-VERDE, São Paulo é a minha religião… acredito sempre nessa nação, e por consequência um trabalho da equipe, para a manutenção desse clube centenário na primeira divisão do campeonato gaúcho. Que o trabalho se humilde e concreto e resultados positivos, para que os próximos certames os gaúchos saibam quem é de fato, a verdadeira Torcida do interior. Fica aqui o meu agradecimento ao Toda Cancha por tão nobre texto sobre o meu querido SAMPA!!! um forte abraço a todos…. Airton Pereira..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *