Chegou chegando!

sp

Recebido por malucos viajantes, “o onze” rubro-verde honrou o manto. (FOTO: Guilherme Rajão)

Gigante! Esse é o adjetivo que resume o tamanho da vitória rubro-verde no Jaconi. No embate entre o favorito ao título do interior e um dos apontados como rebaixado, o Leão do Parque se impôs, tomou conta da cancha da papada e, com golpes precisos, nocauteou o Juventude no CALOR DA SERRA GAÚCHA(?). 

Enquanto os mandatários se desdobram nas COXIAS do Dapuzzo, o elenco rubro-verde partia para Caxias do Sul cercado de desconfiança. Apesar do sacode aplicado no sindicato (7×0), a derrota para o Novo Hamburgo no último amistoso antes do Costelão, com uma atuação fraca, deixou a torcida CABREIRA.

Nos primeiros minutos os comandados de Agenor Piccinin já surpreendiam com muita organização na saída de bola e dedicação. Posicionado no 3-5-2, a disposição tática do rubro-verde parecia confundir a armação do Ju. Com marcações individuais de Cesinha – um dos destaques do jogo – em cima de Zulu e os volantes dominando o PAPO PENSANTE Diogo Oliveira, o São Paulo minava qualquer tentativa dos anfitriões. Nos contra-ataques, a saída com triangulações evitava a marcação adiantada do Juventude e buscava sempre o passe no ponto futuro para CHUMBINHO e RAY. O problema de Chumbinho foi o tiro precoce (ns) e os constantes impedimentos no início do jogo.

16086692

Guilherme (c) comemora o primeiro gol rubro-verde na elite do Tarsão depois de 11 anos. (FOTO: Gabriel Lain)

A saída do Ju era a subida do lateral Julinho, que ENCHOURIÇAVA o lado direito da defesa papareia. Faltando cobertura  dos volantes, Nêgo, o caça-rato do Leão, ficava no mano a mano com o veloz ponteiro Papo.  Mesmo assim, a marcação forte na entrada da área evitava qualquer inspiração dos locais. O ponto fraco do Leão mostrou-se ser a bola aérea. As torres verdes conseguiam se desvencilhar da marcação e apareciam livres para o cabeceio nas bolas alçadas. Entretanto foi uma bola jogada no FEDOR que deu ao São Paulo seu primeiro gol no Costelão. Vanderlei levantou uma bola tinhosa em cobrança de falta, o goleirão titubeou, cutucou a moranga nas pernas do zagueiro GUILHERME e o jovem e bom defensor marcou sem saber, quando olhou para trás a pelota morria no barbante jaconero.

16086727

Rafael Pereira (esq.) levanta as mãos ao céu no apagar das luzes do primeiro tempo. (FOTO: Gabriel Lain)

Na boa, o Leão ficava a espera da chance do bote fatal. Já o Juventude, pouco conseguia criar, a não ser nas chuveiradas. Na primeira, o goleiro Pablo fez linda defesa em cabeçada de Rafael Pereira. Na segunda, já no final da primeira parte, o zagueiro Papo lançou um petardo pela testa e mandou na ASA. O empate parecia ser um balde de água fria no São Paulo, que rumaria para o intervalo na pole-position.

Só parecia. Mantendo a boa marcação nos líderes da equipe local, o rubro-verde parecia SUAVE NA NAVE em solo serrano. É bem verdade que o Juventude ameaçou uma blitz e chegou a balançar o barraco sulista com uma cabeçada de Z9 no travessão, mas os contra-ataques pareciam cada vez mais consistentes e com mais espaço, graças a ansiedade Jaconera.

O número 19 é, sem dúvida, o mais marcante nessa nova trajetória do Sampa. Foi no dia 19 que alcançamos o acesso no Aldo Dapuzzo expurgando torcedores e felicidade. Foi no dia 19, 8 meses depois, que estreamos com vitória longe de casa. E o triunfo veio graças ao bom preparo físico de um time que foi um dos últimos a começar a pré-temporada. Já aos 42 minutos do segundo tempo, o Leão foi forte ao ataque e contou com a sorte. Bola PERERECANDO depois de um vuco-vuco e ficando A FEIÇÃO para o iluminado MICHEL decretar a loucura y felicidade rubro-verde. Não havia tempo para um gol-sem-coração do Juventude. A tarde-noite, 8 meses depois, era nossa novamente.

33234_zoom

EMBEBIDOS de felicidade, o pôfessor e sua turma comemoram o gol fatal de Michel (c). (FOTO: Leandro Carvalho)

Quarta, o Aldo Dapuzzo será palco de um duelo espetacular. Depois de 9823743 milhões de confrontos em 2013, São Paulo e Brasil de Pelotas voltam à cancha para medir forças, dessa vez, na elite.

 

Empolgado, com os pés no chão e já pensando no grupo da Série D (ns),

Matheus Almeida

Publicado em Gauchão 2014, Juventude, São Paulo-RG com as tags , , , , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Chegou chegando!

  1. Sancho diz:

    Faltará lugar no Aldo Dapuzzo.

  2. Primieri diz:

    Baita! É só o começo da saga que constrangerá os terríveis palpiteiros do Toda Cancha que rebaixaram o Leão do Parque em suas previsões, eu incluso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *