Futebol apático (e já não mais compreensível)

16128730

O Juventude vinha de duas importantes e desafiadoras vitórias longe do seu reduto, o Alfredo Jaconi. Primeiro, em Ijuí, numa viagem de praticamente 400 km e, depois, na sempre complicadíssima de se jogar Boca do Lobo, em Pelotas. Duplo triunfo por 1 x 0, que apesar de não apagar a visão do torcedor jaconero do time sonolento que perdeu por 2 x 1 para o ascendente São Paulo (RG), ao menos criava uma expectativa de ontem o Ju passar tranquilamente pelo Cruzeiro e ir embalado para encarar os titulares gremistas no domingo.

No entanto, o que se viu foi mais do mesmo do que já tínhamos acompanhado no duelo de estreia. Uma equipe sem qualquer sintonia, desorganizada, sem criatividade e deixando claro que quando precisa propor o jogo, acaba sendo bastante deficiente. Tanto diante de São Paulo, ainda no esquema com três atacantes, tendo Rogerinho aberto de um lado, Douglas de outro, Zulu centralizado e, na meia cancha, o solitário Diogo Oliveira, como diante do Estrelado da capital, ontem à noite, já com um novo esqueleto de time – Leandro Melo de primeiro volante, Jardel como volante de um lado, Mika de outro, Diogo Oliveira no meio à frente (formando assim o famoso losango na meia cancha) e Rogerinho e Zulu no ataque – o time mostrou ser facilmente anulável em suas jogadas e sem potencial para criar oportunidades de gol.

16128725

Também vale constar, é claro, que dificilmente uma equipe é a mesma quando acaba sofrendo um tento logo no primeiro minuto de partida. Muitos papos (eu incluso) ainda estavam do lado de fora do Jaconi – tentando adivinhar em qual fila ingressar devido ao novo plano de sócios criado, em que alguns já estão com sua carteirinha atualizada e a grande maioria não -, quando pela rádio foi possível ter conhecimento do gol.

No título deste texto, quis fazer uma relação com o do jogo da estreia, quando referi que, apesar do mau futebol jogado, era ainda compreensível – tendo em vista que era o primeiro confronto oficial de Delamore à frente da equipe. Porém, o Papo completou no desmotivante empate diante do Cruzeiro seu quarto jogo pelo COSTELÃO 2014, sendo o segundo sob seu teto, onde ainda não sabe o que é vencer.

Apesar do esmeraldino ter ficado praticamente os 90 minutos no campo dos Leões da Montanha, as chances claras de gol foram esporádicas, em sua maioria após chuveirinhos para dentro da área ou em chutes de fora dela.

16129119

Ao passo em que o jogo ia se encaminhado para o seu fim, Delamore realizou substituições incoerentes, tirando, por exemplo, Rodrigo Heffner, um lateral-direito, para a entrada de um ESQUERDO, Reinaldo, deixando assim Mika E SUA GRANDE AFINIDADE COM A LATERAL (SQN) na ala direita. Yann e Douglas também ingressaram na equipe e o time, senão igual, ficou pior do que já estava. O time lembrou o de Osmar Loss em 2010. Completamente desorganizado, sem saber pra onde ir e ainda possibilitando alguns contra-golpes de teste cardíaco para o torcedor jaconero.

Uma coisa é certaa: a corda já começa a balançar para Geraldo Delamore. Domingo será um jogo atípico, onde mesmo no Jaconi não há toda aquela obrigatoriedade de vitória. Sabemos que os orçamentos aqui são uns, e os de lá da Arena Humaitá são completamente outros. Porém, uma nova atuação pacata deve colocar o ex-auxiliar técnico de Tite com a corda no pescoço. Pode ser que ele ainda consiga ajustar uma peça aqui, outra ali, e, quem sabe, ainda fazer este time jogar. Porém, confesso, hoje estou muito mais pessimista com Delamore no comando da equipe do que outra coisa.

É esperar para ver.

Pedro Torres

Ficha técnica:

Juventude (1): Fernando; Rodrigo Heffner (Reinaldo), Rafael Pereira, Diogo e Julinho; Leandro Melo, Mika, Jardel (Yann) e Diogo Oliveira; Rogerinho (Douglas) e Zulu. Técnico: Geraldo Delamore.

Cruzeiro (1): Fábio; Tiago Matos, Carlão, Leo Carioca e Jeanderson; Claudinho (Glênio), Reinaldo, Abu (Thiago Correa) e Paulinho; Leandro Rodrigues (Mateus) e Vanderson. Técnico: Luis Zaluar.

Arbitragem: Rogério Furtado Gonçalves, auxiliado por João Lucio Monteiro Junior e Antonio João Albornoz.

Gols: Leandro Rodrigues (C), a 1min, no primeiro tempo; Zulu (J), de pênalti, aos 22min, no segundo.

(com fotos do Pioneiro.com)

Publicado em Cruzeiro, Gauchão 2014, Juventude com as tags , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *