Guia da Divisão de Acesso – Parte I

uniao-x-sto-angelo-fora-lf-207

A partir de sábado, a MORINGA rola pelas relvas da querência para a competição mais valorosa possível, a ETERNA SEGUNDONA. Mesmo estando translúcida sobre a alcunha de Divisão de Acesso, essa competição é aquela que eleva três agremiações para o PANTEÃO do futebol pampeano.

A fórmula da disputa é a mesma do ano passado. 16 times que se dividem em duas chaves de oito, as peleias são em dois turnos. No primeiro deles, o embate acontece entre as chaves distintas, com dois de cada lado passando para as semifinais e, consequentemente, finais do turno. Na segunda PARCELA, as esquadras se debatem dentro da própria chave, os quatro melhores de cada grupo avançam para as quartas de final.

O campeão de cada turno estará no COSTELÃO 2015, a terceira vaga é definida numa REPESCAGEM que trará os vice-campeões de cada turno. Caso a mesma equipe seja vice dos dois TURNS, esta enfrentará a de melhor aproveitamento no CÔMPUTO geral e que ainda não tenha obtido vaga. Não custa lembrar que caso alguma equipe vença os dois turnos, será feito um mata-mata entre os vices + as duas melhores equipes em termos de aproveitamento. DESCEM para a Terceirona, as três piores equipes na classificação geral. Só estão imunes ao rebaixamento, o vencedor e o vice do ACESSÃO, ou seja, o terceiro colocado pode subir e cair AO MESMO TEMPO, genial.

Dito isso, abaixo estão as oito coletividades que congregam a Chave A, que vão do Vale do Rio Pardo até a Região CELEIRO, passando pelas Missões, contornando a Depressão Central, indo ao encontro do Noroeste, tendo como MARCHA DE MANOBRA, a região metropolitana. Ceva o mate, descasca a laranja e te aprochega, tchê!

download

A.E.S.R. RIOPARDENSE

O “Peixe” como é conhecido o Riopardense, vem para uma temporada de desafios. Diferente dos outros anos em que o clube contava com a verba da Federação Gaúcha de Futebol, desta vez os recursos são escassos.

As diferenças políticas e consequentemente a falta de apoio financeiro por parte do poder público, foram os principais motivos para que a diretoria do ano passado fosse dissolvida e uma nova estrutura administrativa do clube fosse formada.

Ainda no final de 2013, muitas reuniões entre a antiga diretoria e os novos apoiadores aconteceram. Em uma delas o então presidente Joni Rocha, diante da situação em que ninguém se prontificava a assumir o clube, chegou a cogitar o fechamento do clube. Mas foi nesta mesma conversa que Vandir Meurer, resolveu topar esta parada.

A nova diretoria começou então a correr atrás de patrocinadores na cidade de Rio Pardo e região. O alojamento e o transporte deixam a desejar em vista dos demais clubes da Série A2. A parte da alimentação conta com uma comissão que não mede esforços para levar qualidade para os atletas.

Dentro do campo os jogadores aprovam o trabalho de Edi Carlos, natural de São Paulo – SP, ele já rodou ainda pelos estados do Paraná, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Este ano quer abrir caminhos aqui no Rio Grande do Sul.

Tratadas pela direção como principais contrações estão o meio campo Robert Franklin, 24 anos, e o atacante Everton Motta (Mexirica), 26 anos, ambos vindos do futebol carioca. Outro destaque é o jovem David Cunha, formado na base do Riopardense, que além da boa técnica vem se destacando desde a última temporada por sua preparação física e versatilidade, pois joga como Zagueiro, Lateral e neste ano começou como volante.

Três amistosos foram realizados, o primeiro contra uma equipe amadora da cidade de Santa Cruz do Sul, vitória por 8 a 0 contra o Juventos. O segundo também foi contra uma equipe da cidade vizinha, mas desta vez foi um clássico regional, o E. C. Avenida era o adversário. O jogo foi em casa, mas o Peixe saiu derrotado por 2 a 0.

No terceiro e último, o Riopardense devolveu a visita para o Periquito de Santa Cruz do Sul e o placar foi o mesmo.

A equipe de Edi Carlos para iniciar a caminha em busca do acesso deve ser formada por Weverton, Douglas Amaral, Felipe Ferreira, David Cunha e Fernando Silva; Eddy Ribeiro (Eddy Pitbull), Robert, Alex José e Edenilsom Michels (Deni); Mexirica e João Carlos. O elenco ainda conta com João Luiz Rocha, Luan Linhares, Henrique Picinini, Damian Rodriguez (Paraguaio), Venício dos Santos, Jonathan Marthin, Jeremi Bittencourt, Bruno Mendes (tanque), Yago Bastos, Marcelo Oliveira, Cesar Eduardo Pinheiro (Cezinha) e Jeferson da Silva (Bebe).

A comissão técnica é formada pelo treinador Edi Carlos, supervisor técnico Lindomar Rodrigues, treinador de goleiros Jhonatan Costa (Cavera) e o massagista Discoteca.

Time base: Weverton, Douglas Amaral, Felipe Ferreira, David Cunha e Fernando Silva; Eddy Ribeiro (Eddy Pitbull), Robert, Alex José e Edenilsom Michels (Deni); Mexirica e João Carlos.

CANOAS S.C. -CANOAS S.C.

Em 2013, o clube terceirizou o departamento de futebol e não obteve êxito, sendo rebaixado para a Divisão de Acesso do Rio Grande do Sul. Neste ano depois de estar na berlinda e quase não participar do ACESSÃO 2014, por estar sem estádio e sem garantias financeiras, o projeto inicial prevê acompanhamento do futebol profissional e, também, das categorias de base, que já têm, no mínimo, o Estadual de Juniores no calendário.

O elenco se apresentou oficialmente no dia 28 de janeiro, mas já vinha trabalhando forte desde o dia 20. O QG de treinos dos canoenses têm sido o CEPE – Clube dos Empregados da Petrobrás, em Esteio, e as peleias do Canoas serão na Terra das Ciclovias no Estádio Sady Arnildo Schimidt. A equipe fez um amistoso contra o Inter sub-23 no qual perdeu por 1 x 0, e no jogo contra o time universitário da Ulbra, vitória por 1 x 0 com de Felipe.

Destaque da equipe fica por conta de Peterson, volante de 22 anos, que se profissionalizou-se pelo Botafogo/RJ, garoto este, irmão mais velho do jovem Yuri Mamute do tricolor da capital.

Time base: Rafael; Vera, William, Marcos e Vagner; Leandro, Cláudio Barulho, Peterson e Egon; Lucas e Felipe.

esporte-clube-avenida---santa-cruz-do-sul-rs--logo-primaryE.C. AVENIDA

No ano em que o Periquito Santacruzense comemora seu 70º aniversário, e o segundo seguido na Divisão de Acesso, o objetivo é um só: voltar a elite. O que foi deixado bem claro na apresentação da equipe, no dia de seu aniversário “Nosso objetivo é ser campeão da Divisão de Acesso”, palavras do, agora homem do comando, Régis Amarante. Régis que é ex jogador do Internacional, e tem passagens por Riopardense e Brasil-Far como técnico.

Com uma equipe considerada mais “enxuta” que a do ano passado, a direção, contando com os contatos da nova comissão técnica, buscou jogadores de fora. Muitos deles vindo do Figueirense e alguns remanescentes da base. O destaque da equipe ficou por conta de Fernando Gaúcho que veio para ser o homem gol do Periquito.

Nos amistosos realizados durante a preparação, o Avenida foi bem, não tendo nenhum resultado negativo e com avaliação positiva dos homens do comando.

Time base (a equipe base deve ser): Tiago, Augusto, Evair, Roger, Vinícius, Carlos Alberto, Elias, Miro Bahia, Maurício, Clodoaldo e Fernando Gaúcho. Técnico: Régis Amarante.

internacional_santa_maria_1

E.C. INTERNACIONAL (SM)

O colorado da Baixada entra na Divisão de Acesso 2014 mais maduro em relação ao time que disputou a competição no ano passado. Se em 2013, o excesso de jogadores jovens pesou nos momentos decisivos, agora o acréscimo de experiência pode ser determinante na busca por uma das vagas na Série A. Comandados novamente por Badico, que retorna ao Inter-SM depois de uma passagem por Bagé, a equipe conta com velhos conhecidos da torcida.

O meia Marco Antônio, um dos destaques do time na última Divisão de Acesso, e que esteve perto de ir para o futebol paranaense, permanece em Santa Maria. No ataque, destaque para Josiel, ídolo da torcida alvirrubra e com passagem importante pelo Paraná Clube. Os goleiros são igualmente experientes: Goico, de 38 anos, já defendeu o Inter-SM, e o uruguaio Yai, com passagem pelo 14 de Julho de Livramento, atuou no rival Riograndense na temporada passada.

Se no ano passado havia a carência de um armador de origem, mais CEREBRAL, para comandar a meia cancha colorada, em 2014 isso não é problema. O responsável por pensar as jogadas do Inter-SM é um camisa 10 nato: Piccinini, que levou o São Paulo de Rio Grande à Elite no ano passado, agora veste vermelho e branco. Como ponto fraco, a zaga, que nos primeiros amistosos se mostrou lenta e um nível abaixo dos demais setores da equipe.

Time base: Yai (Goico), Luis Felipe, Agnaldo, Vagner Garibaldi, Diego Rocha; Rafael Muçamba, Douglas T-Rex, Roger Bastos (Felipinho), Piccinini; Marco Antônio e Josiel (Jone).

images

S.E.R. PANAMBI

Após um 2013 em que na base do FERROLHO montado por EL SIMIONATTO, a esquadra verde e branca sobreviveu bem no GRILLÃO, a intenção é de beliscar algo maior em 2014. Para tal, foi trazido Lucio Collet, que fez bom trabalho na condução do sub-19 do Avenida na Copa FGF da categoria. O taura chegou para ser uma espécie de MANAGER do clube do Vale das BORBOLETAS AZUIS.

As apostas são, novamente, em Josimar, de passagens felizes com a camisa alvi-verde, no goleador (?) Gavião e no pistolero Fabian. Na pré-temporada, duas vitórias contra o União Frederiquense, um empate contra o Santo Ângelo e uma derrota contra a equipe do Tupi. Ao menos, a surpresa agradável desses amistosos foi DÚ BAYER. O estádio João Marimoon Jr no Complexo PIRATINI é novamente a casa do clube que honra a CAPITAL DAS MÁQUINAS.

Time base: Fabiano; Du Bayer, Vinícius, Marcio Nunes e Gauchinho; Rodrigo Dias, Luis André, Teko (Colazzo) e Josimar; Fabian e Gavião. Técnico: Lucio Collet.

santo_angelo_rs

A.E.R. SANTO ÂNGELO

Nas Missões, os automóveis já estão devidamente adesivados com a imponente assertiva RUMO À SÉRIE A DO GAUCHÃO. Com esperança e restrições financeiras começa mais uma Segundona para a A.E.R. Santo Ângelo. Nos últimos anos, o início de cada época parece cada vez mais duro para quem milita no futebol ÁRIDO do Rio Grande, e para o quadro santo-angelense não é diferente. A aposta será novamente na mescla que peneirões e contratações pontuais podem gerar, como no ano passado quando a SER terminou o certame na 9ª posição da classificação geral.

Na casamata a direção técnica será de Almir Fraga, aquele que na cumplicidade com Paulinho MacLaren devastou linhas defensivas com a camisa do Santos, no florescer dos anos 90. Andarilho da bola, o ponteiro direito à moda antiga também vestiu-se para o futebol no Rio de Janeiro, no Japão, em Minas Gerais, no interior paulista, em Pernambuco, no Paraná e aqui no pago, onde fardou pela dupla da capital e nos hibernados Ulbra e Porto Alegre. Fora das quatro linhas, Almir teve passagem como auxiliar técnico no América de São José do Rio Preto e no Operário Ferroviário de Ponta Grossa/PR.

O grupo de jogadores que empunhará a flâmula tricolor não é mais que razoavelmente conhecido nos campos gaudérios, entre as exceções está o arqueiro ALTIERI, que com seus 35 invernos e extensa folha de serviços prestados ao futebol, será o responsável por guardar a baliza dos devotos de Sepé Tiaraju.

Nos testes realizados pré-competição, o time missioneiro venceu jogos treinos e empatou amistoso em Panambi, diante da Verde y Blanca local em 2 a 2, depois de abrir dois tentos a zero.

Time base (escalação inicial em amistoso): Altieri – Djone – Guilherme Nunes – Nicoletti – Rossi – Douglas – Júnior – Elias – Morais – Lucas – John Lenon. 

tupi

TUPI F.C.

Depois do maior título de sua história, a conquista da Segunda Divisão de 2013, o Tupi FC tentará surpreender mais uma vez, com baixo investimento e quase só apoiadores locais. Quase sem dinheiro para investir e com o grupo valorizado, apenas dois campeões do ano passado ficaram o goleiro Josemar e o lateral direito Sampaio. Nas contratações a direção tentou não errar, já que o grupo de jogadores será pequeno.

O time tentará manter um dos trunfos do rubro-negro ao longo dos anos, que é fazer os resultados dentro de casa, com uma torcida pequena, porém barulhenta e apaixonada, que empurra o time o tempo inteiro.

Os amistosos de preparação foram bons, com o time demonstrando muita pegada, forte marcação e qualidade quando tem a bola. Foram 3 amistosos e 3 vitórias, diante de uma seleção regiobal, diante do Panambi em Panambi e diante do time sub 20 do São Luiz em Ijuí. Jair Galvão tem escalado a equipe no 3-5-2, tendo como time base: Josemar, Reinan, Valdemar e Dener; Sampaio, Bilo, Wagner, Julinho e Adilson; Michel e Mano Garcia. Mano Garcia marcou 4 gols nos amistosos disputados e já conquistou a confiança do torcedor. No banco também ficarão boas opções como o goleiro Baiano, os zagueiros Marcelo de Oliveira e Bruno Santos, o volante Sérgio Luis, o lateral Filipe, os meias Javier, Juninho Santos e Queijinho e o atacantes Cicinho. A comissão técnica é formada pelo treinador Jair Galvão (campeão da segundona de 2005 pelo São Luiz), pelo preparador físico Marcelo Buda (ex atacante) e pelo preparador de goleiros Carlos Amaral. Marcial Mujica Junior é o presidente do clube, Paulo Moacir Haas é o diretor de futebol e Fabrício Canabarro é o gerente de futebol.

Time-base: Josemar, Reinan, Valdemar e Dener; Sampaio, Bilo, Wagner, Julinho e Adilson; Michel e Mano Garcia.

uniao

UNIÃO FREDERIQUENSE DE FUTEBOL

Desde os dez dias de janeiro, em pleno quente e escaldante veraneio gaúcho, o movimento tem que intensificado ali pelos lados da Colina Frederiquense. Foi muita correria para colocar em forma os que se passaram no Costelão 12 horas de final de ano, além de afinar a conversa entre Simionato e a gurizada. Nos testes, duas goleadas contra selecionados amadores – 4 a 0 sobre a seleção do varzeano de Frederico Westphalen e 5 a 1 frente ao selecionado de Planalto – duas derrotas nos amistosos contra o Panambi, e um empate contra o time de guris do São Luiz de Ijuí.

Os 11 gols marcados e os 5 sofridos não convenceram os Loucos da Colina na pré-temporada, principalmente pelos resultados negativos contra o ex-afeto do Nestor, e companheiro de Grupo A, clube da Cidade das Máquinas. Mas como a peleia nem sequer começou, duzentos e quarenta e cinco dias depois de ver o União empatar na Baixada Melancólica em Santa Maria, no último jogo do União pela Divisão de Acesso 2013, o torcedor conta as horas para subir a ladeira e ver o tricolor em campo novamente.

Time base: Gallas (Diego), Caio, Jésum, João Carlos, Marciel; Marcelo Guerreiro, Manivela, Ronaldinho Gramadense (Diego Miranda) Kleyton (Maranhão); Rodrigo Zeferino e Rogério. Técnico: Nestor Simionato

Escreveram pelo Toda Cancha: Natan Dalprá Rodrigues, El Viejo Balejos, Gustavo Werner, Sabrina Heming e Nicholas Lyra.

Participação especial: Daniel Pillar, que das bancadas do Presidente Vargas, trouxe dados do Internacional-SM; Fábio Pelinson, do Jornal O Alto Uruguai, que escreveu sobre o União Frederiquense; Clecio Ruver, do Guia de Crissiumal, que escreveu sobre o Tupi FC; e Ricardo Figueiró, Repórter da Rádio Rio Pardo 790 AM e da Gazeta Rio Pardo, escrevendo sobre a Associação Riopardense. A todos agradecemos imensamente!

(A foto é do site oficial da SER Santo Ângelo).

Continua…

Publicado em Avenida, Canoas, Divisão de Acesso 2014, Inter SM, Panambi, Riopardense, Santo Ângelo, Série A2, Toda Cancha, Tupi de Crissiumal, União Frederiquense com as tags , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *