De alma lavada…

gol

Esse foi o sentimento dos torcedores de AVENIDA e YPIRANGA na saída do estádio dos Eucaliptos na tarde deste domingo (23). Para os visitantes, lavada pela vitória e pela chuva que deu as caras durante toda a peleia, e já para os locais, lavada, literalmente pelo balde de água fria na empolgação que tomava conta da torcida pela estréia na busca pelo retorno à elite do futebol gaudério.

Depois dos amistosos, o que se esperava dos ALVIVERDES era um futebol envolvente com toque de bola e bastante movimentação, o que não se esperava era que o santo Pedro fosse querer participar do embate de aves no ninho do periquito. A chuva que caiu na Terra do Fumo dificultou qualquer coisa relacionada com habilidade que se pudesse esperar de ambas as equipes. Ahhhh!! E vocês vão estranhar mas sim, o AVENIDA jogou de verde e dourado, uniforme comemorativo pela parceria com a Oktoberfest.

DSC02824

Mesmo com a chuva dificultando o jogo, o NIDA começou bem indo pra cima com subidas de Mauricio e Miro Bahia. No entanto, a força física do Ypiranga começou a aparecer e a prevalecer, tanto que o time de Erechim foi pra cima e encurralou a equipe da casa em sua defesa. Assim sendo,  o capim dentro do gol de Daniel foi balançado duas vezes, mas nestas duas ocasiões, os tentos acabaram anulados. Quando a torcida acreditava numa reviravolta por parte da equipe do técnico Régis Amarante, já estava chegando a hora do cachorro-quente e o pessoal já se afilipava para descer os degraus dos da cancha, eis que Jean Coral mexe no placar e faz Ypiranga 1 a 0, jogando mais um pouco de água gélida no já encharcado torcedor que comparecia ao estádio da Rua São José.

Na volta para a segunda metade do duelo, Periquitos e Canários voltaram diferentes, os donos do ninho partiram em revoada pra cima, principalmente com Augusto e Clodoaldo que passaram a infernizar a defesa dos de Erechim, e com 4 minutos jogados, o mesmo Clodoaldo adentrou a grande área e sofreu o pênalti. E lá foi a esperança de gols dos avenidenses, Fernando Gaucho, pegar a bola e ajeitá-la na marca da cal, todo o pavilhão estava de pé, e o matador correspondeu, goleiro de um lado e bola pro outro, o AVENIDA estava mais vivo do que nunca na peleia.

O time de SCS continuou no ataque e a virada parecia clara, até que em uma falta duvidosa, Elias recebeu o segundo amarelo e com isso o árbitro lhe mostrou “la Tarjeta Roja” e o mandou para o banho mais cedo. Mais uma ducha de água fria na periquitada!

Com um a mais o Ypiranga começou a dominar a partida e se impor de maneira que, depois de um chute de Foletti, o arqueiro Daniel fez uma boa defesa, mas o rebote sobrou para o lateral Wesley que quando iria marcar, foi derrubado por Augusto e o homem de preto mais uma vez apontou a marca da cal, dessa vez para os canários. Menos um em campo para o Avenida e um a mais para o Ypiranga no placar, Jean Paulo, 2 x 1.

DSC02851

A partir daí o jogo passou a ser uma correria desenfreada sem posições definidas por parte do Avenida e um jogo de paciência para o Ypiranga, que não sofria pressão, porém não se arriscava de maneira desordenada no ataque. O treinador alviverde ainda tentou mudar a equipe colocando jogadores com mais velocidade e com gás novo, não surtiu efeito, até que em um lampejo de esperança, o Avenida se lançou todo ao ataque e por duas oportunidades a torcida e os jogadores reclamaram de que os defensores erechinenses bloquearam a bola com as mãos, no entanto o árbitro nada marcou e o placar seguiu inalterado, terminando em AVENIDA 1 X 2 YPIRANGA.

Com a esperança de dias melhores e mais secos,

Gustavo Werner

(as fotos são da cancheira Sabrina Heming)

 

Publicado em Avenida, Divisão de Acesso 2014, Sem categoria, Ypiranga com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *