Recomeço Alvirrubro

Foto Daniel Pillar (1)

As unhas roídas, o corpo inquieto da espera, a cabeça permeada pelo pensamento que só focava um acontecimento: o início da Divisão de Acesso.

Assim estava o torcedor mais fiel do Inter SM, ansioso para ver o time entrar em campo novamente, e confiante pelo que viu na pré-temporada, invicta, jogando bem e com seus ídolos no elenco, entre eles, Josiel no ataque e Badico na casamata.

Foto Daniel Pillar (2)

Badico RASTELANDO a grama cortada da Baixada, um dia antes do jogo.

No dia 23 de fevereiro de 2014 todos os caminhos da Boca do Monte guiavam para a Baixada Melancólica. Quatro mil torcedores presentes na estreia contra o Glória de Vacaria, e um jejum de seis anos sem vitória no primeiro jogo de campeonato, unindo segundona e primeira divisão. A última vitória aconteceu em 2007, justamente o ano em que o clube subiu para a elite do gauchão, em um 1 a 0 fora de casa contra o Lajeadense.

Os bumbos e cantos da Fanáticos da Baixada, os foguetes na entrada do time, o inquieto torcedor que persegue o bandeirinha, o vizinho que mora atrás do estádio, que se espreita no muro e vislumbra do quintal o duelo. O futebol volta a pulsar em Santa Maria! O clímax foi quando Marco Antônio colou Josiel sozinho com o goleiro, e o artilheiro do brasileirão 2007 fez jus ao reconhecimento e estufou as redes, ecoando novamente pelas redondezas da Avenida Liberdade o grito de gol.

Quando o árbitro anunciou o final da partida os aplausos soaram no Presidente Vargas, finalmente o alívio de um final de jejum, e o torcedor cada vez mais confiante no que esse ano promete para o Internacional.

O observador que chega agora nem nota que alguns meses atrás, no final do ano de 2013, o que predominava no cenário do futebol profissional em Santa Maria era a polêmica. Direções de Inter SM e Riograndense estudavam e davam quase certa a ideia de uma união entre os dois clubes, por falta de dinheiro e incentivo para 2014. Alguns dizem por aí que esse foi o fator principal para o ressurgimento da esperança e força do futebol local, chamando de volta os torcedores, indignados com a proposta, e movimentando o cenário que fica parado no segundo semestre do ano.

foto renata medina

Desde então, diretoria, comissão técnica e torcedores (o Inter-SM ganhou uma associação ao estilo da Cresce Xavante do Brasil de Pelotas, chamada Avante Alvirrubro) se uniram e com força de vontade, trabalho e muita dedicação colocaram ambos clubes como fortes candidatos a uma vaga na primeira divisão.

É com uma felicidade imensa que escrevo esse texto, exausto depois de horas de trabalho pelo Inter, sabendo que agora cresce em Santa Maria a identidade da comunidade com os times. Se há cinco meses eu temia pelo fim do Internacional, hoje eu me preparo para a viagem quarta-feira para Marau e depois para o grande clássico Rio-Nal, onde aos poucos os santa-marienses novamente se familiarizam com algum dos times, crescendo a rivalidade sadia que só acrescenta para o bem do esporte.

Que seja longo a vida do futebol do interior, do futebol do Brasil profundo, esse que nos mostra o lado mais humano da modalidade. A proximidade de torcedor/clube, sendo membro atuante no dia-a-dia, colaborando desde a pintura das arquibancadas ao investimento em algum patrimônio.

foto renata medina(2)

Muita Divisão de Acesso ainda tem pela frente, podendo nos reservar surpresas, decepções ou gigantescas alegrias, mas de qualquer forma, estaremos nas tribunas faça sol ou chuva, em primeiro ou em último lugar.

De Santa Maria da Boca do Monte,

Daniel Pillar

(As duas primeiras fotos são do autor e as demais são de Renata Medina/Dpto. de Comunicação/Inter-SM)

Publicado em Divisão de Acesso 2014, Glória, Inter SM com as tags , , , , , , , , , . ligação permanente.

5 Respostas a Recomeço Alvirrubro

  1. Balejos diz:

    Eu gosto do Riograndense e do Inter-SM. Eu não presto. Pronto, confessei. E essas imagens da Baixada com bom público são alentadoras.

  2. Matheus Almeida diz:

    Declaro aqui minha torcida pelo colorado nessa Divisão de Acesso. Impossível não se comover com bons públicos e tradição nesse interior.

  3. Tarcísio Isaia diz:

    Parabéns pelo registro, Daniel!

    Estive também no jogo, vi teu trabalho com a câmera na mão e, da mesma forma, fiquei entusiasmado com a adesão que o Inter-SM está tendo, com muitos patrocínios dentro do estádio, muitas camisetas (de todas as épocas) sendo vestidas, e o grande público!
    Apesar de achar que o time ainda tem que melhorar – pode e vai melhorar – ganhei confiança de que uma nova história pode estar começando para nós em 2014.

  4. Nelson de Souza diz:

    Parabéns Daniel pelo texto. Nós torcedores fiéis do Inter-SM nunca trocaremos a emoção de estar na nossa velha e boa Baixada, pelo imponência e beleza dos grandes estádios da capital.

  5. Paulo Cesar Piquini diz:

    Parabéns pelo texto e pela decisão de atuar mais proximamente ao clube. O que tem facilitado a vida do clube este ano é o maior número de pessoas envolvidas. Talvez a possibilidade de criação de um terceiro clube tenha sido um estopim para isso, mas ao que me parece teve maior repercussão do lado vermelho. Bom para nós. Estes fatos, ao final, resultaram numa melhoria rápida e visível no clube. Espero que esta renovação dos ânimos perdure por longo tempo, com a incorporação de mais e mais pessoas que tenham o clube acima das perspectivas pessoais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *