Fechados com o Toquinho

1

Quando fora anunciado treinador do Sampa, Agenor Piccinin surgia como o técnico campeão catarinense com a Chapecoense e o rei das classificações para os matas dos estaduais. Segundo ele, o São Paulo seria um grande desafio em sua carreira e buscaria não apenas a permanência na elite como também avançar para os finalmentes do Costelão. 

Com menos de dois meses de trabalho, Agenor Piccinin deixa o cargo do Sport Club São Paulo. Carrega entre as bagagens uma vitória, CINCO empates e quatro derrotas. Míseros 26,67% de aproveitamento e a ingrata vice-lanterna do certame. Deixa na Linha do Parque a certeza de que foi pai de uma criança com capacidade de evoluir, mas muito mal criada. Entre mudanças constantes de esquema tático, escalações equivocadas, más substituições e braços cruzados ostentando colares dourados, Agenor Piccinin aparentou pensar ser mais do que realmente é.

Ninguém omite as dificuldades encontradas pelos profissionais que trabalham no Aldo Dapuzzo. Apesar do inegável empenho dos mandatários rubro-verdes, o São Paulo ainda carece de mais organização extracampo e, principalmente, do faz-me-rir. Isso, porém, não justifica determinadas desculpas dadas após as partidas. O gramado do Aldo Dapuzzo atrapalha, porém os adversários também jogam no relvado prejudicado e se sobressaem as dificuldades que os montinhos invariavelmente colocam. Reclamar de não fazer concentração em jogos em Rio Grande apenas demonstra uma incapacidade de controlar o vestiário e focar os jogadores para as partidas, além de ser de um custo elevado – ainda mais na entupida Noiva do Mar.

2Diante de um cenário caótico, o fardo de escapar do descenso recai sobre nós: torcedores, jogadores e TOQUINHO. O Celso Roth papareia. Toquinho foi um dos grandes jogadores da história do São Paulo e um dos maiores batedores de faltas que o interior já viu. Declaradamente bairrista, Luiz Carlos Lombardi já treinou tanto o Sampa como também o Rio Grande em algumas oportunidades. Na maioria delas para apagar o fogo e pegar o que sobrava dos maus resultados dos pôfessores anteriores. Muitas vezes foi bem, em outras nem tanto. Fato é que Toquinho nunca recebeu a oportunidade de montar um elenco de qualidade ou até mesmo trabalhar com um. A opção de nunca sair da cidade para trabalhar como treinador, levou-o a buscar a vida em outros meios. De origem humilde, o ex-jogador dos rubro-verdes São Paulo e Portuguesa-SP, devolve ao Leão do Parque sua identidade. Somos coração, não somos empáfia. Somos união, torcida e clube.

No sábado, diante do Grêmio, Toquinho voltará a enfrentar um dos grandes da capital, mas, pela primeira vez, da casamata. Contra o provável mistão dos azuis, a vitória torna-se imprescindível. Com o objetivo traçado de conquistar 9 pontos dos próximos 15 a serem disputados e eliminar completamente as chances de rebaixamento, o Leão deposita todas suas fichas nas três partidas em que será mandante: Grêmio, Novo Hamburgo e Cruzeiro.

O bafo na nuca dos adversários já foi convocado, Toquinho já foi chamado e dessa combinação apenas uma certeza resultará: Leão na primeira divisão.

Fechado com o Toquinho,
Matheus Almeida 

Publicado em São Paulo-RG com as tags , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Fechados com o Toquinho

  1. João diz:

    Show de bola a volta do Toquinho, e uma certeza, o Sampa permanecerá na primeira e o Toquinho será o Treinador, capacidade ele tem de sobra, o que faltava é plantel de qualidade e isto acho que agora o Sampa tem. Estou com o Toquinho nessa!

    Belo texto, escreve bem este guri do Leão do Parque!

  2. Luiz Otávio diz:

    Não sei se para este ano o novo professor vai salvar a pátria, mas, espero que para aprendizado fique e ainda um alerta a esta torcida apaixonada…deixar uma pessoa só mandar no time, na escalação e principalmente deixar na mão de empresários que trazem 90 % do time e esses 90 mesmo bons ou ruins tem que jogar… não pode acontecer!!
    Aconselho que olhem os treinos direção e torcida e vejam os melhores, porque deveria ser assim a escalação, mas não é isto que acontece…
    Observem o banco do time, peguem o histórico dos jogadores e comparem com os que estão jogando…zagueiros falhando e jogando, atacantes que não fazem gols!
    Acredito que o problema não está só no técnico não amigos…vamos abrir o olho…cobrar e descobrir quem está mandando no São Paulo neste ano!
    Eu estarei mais atento como torcedor sim e não vou quebrar nada não, mas, assim como quem vota deve ver a “ficha” dos candidatos investigarei a “ficha” dos nossos jogadores e “mandantes”!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *