Perso la tramontana

2014-03-06 03.40.50

Cheguei à Montanha dos Vinhedos com confiança, saí desolado. O Veranópolis quase abriu o placar, mas não abriu. O Veranópolis quase virou o jogo, mas não virou. O Veranópolis jogou mais, mas não ganhou. Como cantou Pirisca Grecco: “Tirei três penas do rabo pra fazer meu patuá, a coruja é muito sábia de certo me ajudará”, mas diferente da música a mandinga não é pelo coração de uma bela moça, mas sim para segurar os que tentarem tirar o Pentacolor do topo.

Uma vitória seria de uma ajuda imensa para as pretensões do VEC, mas o algoz dos líderes estava do outro lado. Um time modesto – e ruim – mas brigador, que já havia vencido o Brasil, e que tem em Claytinho como referência técnica. O Esportivo venceu o clássico serrano contra o Pentacolor, o que era improvável. Mas esse é o futebol e não há quem possa discordar dessa sua característica.

Logo aos 3 minutos a partida foi interrompida, a Montanha ficou às escuras por quase 20 minutos. Quando a claridade enfim voltou o VEC mostrou-se superior em campo, apesar de pouco concluir a gol tinha mais volume de jogo e posse de bola, mas assim como a iluminação, de súbito apagou. Aos 29 minutos em contra ataque depois de cruzamento rebatido pela zaga o time de Bento chegou com facilidade à área do ENSONECADO zagueiro Douglas Assis que só olhou e nada fez para barrar o adversário. Ramon, o nome da fera, abriu o placar em chute forte indefensável.

O VEC perdeu a lucidez, perdeu o rumo, HA PERSO LA TRAMONTANA e aos 42 minutos em bola alçada através de escanteio, a zaga inexistiu e Reginaldo ampliou para a tristeza dos quase 100 pentacolores presentes e para delírio dos Alvi-azuis do lado de lá da ponte. O visitante então resolveu voltar a pressionar e em blitz alucinada ao redor da área do Tivo a bola quicou na frente de Juba que de canhota emendou para as redes. A primeira parte findou-se em Esportivo 2 x 1 Veranópolis.

No intervalo Julinho sacou o volante Glauber e colocou EL TANQUE Soares no relvado, com o time mais ofensivo e sob o comando de Eduardinho, de espetacular atuação, o Pentacolor voltou mais agressivo e logo aos 6 minutos empatou. Eduardinho percorreu UM EITO de sua área até a intermediária adversária e meteu entre a zaga para Éder que cortou o arqueiro e marcou.

1795670_10203431999070354_1972123925_n

Impossível sentar na arquibancada, o Veranópolis tinha que ganhar, mas o bom início mostrou-se apenas um excelente prefácio de um livro meia boca. Não de todo ruim, mas daqueles que enrola e não chega a lugar nenhum. Assim foi o VEC no restante do segundo tempo. Pressionou, marcou, agrediu, fez o CARALHO A QUATRO, mas apagou, e o fez quando não podia.

Aos 35 minutos do segundo tempo, novamente em bola erguida na área, enquanto a zaga Pentacolor estava mais perdida que o senhor do troco da BODEGA do estádio, Reginaldo fez mais um decretando o 3 a 2 para o time da casa.

Não posso falar de justiça em futebol. O VEC jogou mais? Sim, porém faltou ambição em vários momentos e em vários jogadores e agora, com a derrota, não depende mais de si para ser Campeão do Interior. Caminho aberto para o Brasil novamente.

Na próxima rodada o Veranópolis recebe o São José no Farinão e o Esportivo joga no Jaconi contra o Juventude.

Esportivo 3×2 Veranópolis

Esportivo: Vinícius; Thiaguinho, Luther (Jean), Reginaldo e Felipe Athirson; Daniel, Ramon (Ygor), Luís Felipe (Fábio) e Claitinho; Brandão e Adriano Chuva. Técnico: Flávio Campos.

Veranópolis: César; Saraiva (Carlos Henrique), Léo Dagostini, Douglas Assis e Romano; Marcos Rogério, Glauber (Soares), Eduardinho e Eder (Juninho); Juba e Lê. Técnico: Julinho Camargo.

Procurando remédio na vida noturna,

Matheus Primieri

Publicado em Esportivo, Gauchão 2014, Veranópolis com as tags , , , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Perso la tramontana

  1. Henrique Alviazul diz:

    Vocês jogaram mais ?! Tá bom então

  2. Pingback: Nosso longo caminho para a conviência | Toda Cancha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *