Na Baixada, o campeão da Copa Verde sucumbiu 

Xavante 1 x 0 Paysandu

Ontem à noite, o frio não atrapalhou. Inclusive, a temperatura para nós foi boa, tranquila, mas para o time do Paysandu foi o suficiente para a compra de LUVAS DE LÃ FEITA PELA VÓVIS (ns). O Papão, cujo clube sempre respeitei pela história e torcida que possui, fez o jogo certo no Bento Freitas. Mesmo assim, o campeão da Copa Verde caiu para o time dos Negrinhos da Estação. 

O Paysandu não é qualquer um. Já venceu o Boca em plena La Bombonera, levantou QUARENTA E TANTAS taças do estadual, campeão da atual Copa Verde, Copa Norte, entre outras histórias incríveis. Do outro lado, porém, havia a XAVANTADA, a galera do CANAL DO PEPINO, os eternos Negrinhos da Estação.

Não deu outra.

O jogo em si foi difícil. O PAPÃO DA MASSA fez o correto. Time fechado, marcação forte, buscando sempre o erro do adversário e o contra-ataque. Atitude LEGÍTIMA. Jogar de maneira FACEIRA dentro do Bento Freitas representa o limiar entre a CHINELADA e a vitória – o ideal, portanto, é FAZ CERA? (ns)

Por conta dessa postura, o Brasil teve muitas dificuldades de criar as oportunidades de gol. Tocamos muito a bola à procura dos espaços. O mesmo para o Paysandu, que atacou com velocidade sempre quando pôde. Nenhum time, porém, levou grande perigo aos guarda-metas.

13305247_1276992659002141_5089144861800969947_o

Na segunda etapa, a coisa mudou. O jogo ficou mais aberto, mais franco. Levamos bem mais perigo, e eles também. Depois de muita TEIMOSIA em entrar na área – por terra ou por ar (ns) – chegamos ao gol. Gritamos, mas o BERRO foi interrompido pela bandeirinha que anulou o tento. Não vi ainda nenhum REPETECO do lance, logo abstenho-me.

O gol da vitória só foi sair na marca da cal. O JOVIAL Wender de 37 anos tentou cruzar uma, duas, três vezes antes da trajetória da pelota ser interrompida pelo braço do jogador do Paysandu. Sem nenhuma dúvida. Diogo Olivera bateu e fez. 1 a 0.

Depois disso, foi só festa na arquibancada. Impulsionado pela massa Xavante, o time do Brasil cresceu e quase chegou ao segundo gol com o artilheiro Felipe Garcia. Foi por pouco. Alguns torcedores do time visitante, inclusive, deixaram o estádio. Sentiram que a coisa não ia mais mudar de figura.

O Paysandu adotou uma nova estratégia: BAGO para ver no que vai dar. No fim, nada foi eficiente. O desespero pelo gol de empate apenas resultou em mais motivação para nós, Xavantes, que presenciamos a vitória mais suada até aqui.

O Xavante continua no G4, agora em terceiro. Sempre em frente, rumo a Tóquio!

Fotos da assessoria do G.E. Brasil (Carlos Insaurriaga e Jonathan Silva) e do BlogXavante.com

Aaaaaaaaah, eu sou Xavante!

Pedro Henrique Krüger | @pedrohckruger

Publicado em Brasil de Pelotas, Série B com as tags , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *