Copero y Peleador

asoeasepjComo todo bom torcedor de equipes do interior gaúcho, já criei o meu “escudo ceticista”. Acreditar que o melhor acontecerá é, normalmente, decepcionante no final. O que o Juventude tem feito neste 2016, porém, alterou toda essa ótica. Primeiro o Grêmio, no Gauchão. Depois, passando por Coritiba e Paysandu na Copa do Brasil. Triunfos quase inimagináveis, dadas as condições das respectivas equipes. Por conta desses resultados, no duelo contra o São Paulo, o inacreditável era um pouco mais palpável. UM POUCO.

O plano de jogo seria o clássico, já utilizado nos outros jogos de mata-mata em territórios inimigos: defender com tudo e todos. Havendo brechas, contra-atacar com agressividade – e com Roberson, de preferência. Passavam-se nove minutos no Morumbi e, mesmo com tão pouco tempo, os mandantes já demonstravam a postura ofensiva que teriam pro resto do jogo. Ao Ju, cabia seguir o protocolo. Só ninguém esperava que a brecha apareceria tão cedo, e justamente nos pés do artilheiro.

Vacaria roubou a bola e encontrou Felipe Lima, na lateral ofensiva, que levantou a cabeça e encontrou ELE, Roberson, livre de qualquer marcação. Com um toque, o atacante partiu para a linha de fundo. Como quem fosse cruzar, olhou pro meio da área, mas chutou com muita categoria no canto baixo do goleiro Dênis. Não teve jeito. A bola explodiu na trave e morreu no fundo das redes. O torcedor não acreditava: tudo que o Juventude queria estava acontecendo. Na Copa do Brasil, um gol fora vale por dois. No Morumbi, valia bem mais que isso. Valia como uma mensagem, já conhecida por todos os torcedores alviverdes: “Brasil, olha o Juventude, tchê!”.

cueva

O tricolor paulista tentava responder incessantemente com cruzamentos, mas era parado por Klaus, quando não por Ruan. O Papo, quando podia, assustava. Pará lançou Wallacer que, livre, cruzou com perigo, mas foi parado pela defesa adversária. Aos 36, o São Paulo quase chegou ao gol com Chávez, que obrigou Elias a realizar uma defesa plástica. Instantes depois, o próprio atacante argentino aproveitou ótimo cruzamento de Carlinhos e, de cabeça, encobriu o arqueiro alviverde. O primeiro tempo terminava em 1 a 1.

Para a segunda etapa, Ricardo Gomes colocou Michel Bastos na vaga do volante João Schmidt, tornando sua equipe mais ofensiva. O recém entrado, aos 8, teve chance CLARÍSSIMA na pequena área, totalmente livre de marcação, mas finalizou na rede do lado de fora. Um pouco depois, Hugo saiu para a entrada de Caion, jogador de maior velocidade para um eventual contra-golpe.  A oportunidade apareceu aos 26, e ele ia passando pelo meio de Lyanco e Hudson quando foi derrubado à direita da área adversária. Pará bateu a falta com curva, em direção ao gol, exigindo bela defesa de Dênis. Logo após, Lucas entrou na vaga de Felipe Lima, a fim de reforçar a segunda linha de marcação. O efeito foi imediato, porém inesperado.

Aos 28, Lucas recuperou bola na direita e passou para Caion. O atacante encontrou Roberson no meio, que completou a triangulação voltando para o primeiro, já dentro da área. Thiago Mendes deslocou o atleta jaconero, que estava pronto para finalizar. Pênalti. Roberson assumiu a responsabilidade e, com frieza, cobrou no meio, para o delírio da torcida esmeraldina. 2 a 1. Faltavam só 15 minutos para o triunfo ser consolidado. O zagueiro Ruan quis deixar o desfecho um pouco mais emocionante e foi expulso após receber segundo cartão amarelo. O Ju se fechou como pode e segurou o HOMÉRICO resultado até o final.

SAO PAULO - SP - 24/08/2016 - COPA DO BRASIL 2016/SAO PAULO X JUVENTUDE - Roberson do Juventude comemora seu gol durante partida contra o Sao Paulo pela Copa do Brasil 2016 no estadio do Morumbi. Foto: Mauro Horita/AGIF

Algumas considerações devem ser feitas: no meio, Vacaria e Bruninho fizeram a melhor dupla de volantes até aqui, roubando inúmeras bolas cruciais; enquanto Wallacer e Felipe Lima foram fundamentais para evitarem os avanços de Bruno e Carlinhos, pelos flancos. No ataque, Roberson comprovou (mais uma vez) que CARREGA a equipe, e pode ser melhor auxiliado por Caion – que provavelmente não é titular por condições físicas -, do que por Hugo.

Por mais que a campanha na Copa do Brasil seja DESCOMUNAL, o principal objetivo do time em 2016 é outro. Na caminhada rumo ao acesso à Série B, o Juventude recebe o Botafogo-SP no domingo (28), às 19h, valendo vaga no G4 do Grupo B. Se o verdão atuar com o mesmo empenho que no meio da semana, os três pontos serão realidade.

Com incríveis DOZE jogos de invencibilidade e uma SURREAL esperança, permito-me citar frase de meu avô, em um de seus momentos de euforia com o Papo: “ser juventudista é morar no paraíso”.

Quase mais otimista que o Vô Miguel,

Henrique Letti (@hdletti)

Fotos: Marcos Riboli/GloboEsporte e Mauro Horita/AGIF

Publicado em Copa do Brasil, Juventude com as tags , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Copero y Peleador

  1. Franco Garibaldi diz:

    Exatamente isso: do uma baita vitória, que pode encaminhar a classificação. Mas o foco tem que estar todo na C e no acesso pra B. Até pra essa campanha na CB não virar apenas uma bela lembrança e mais um ano no quase (mesmo que a campanha esteja sendo afudê).

  2. FirstGrady diz:

    I see you don’t monetize your site, don’t waste your traffic, you
    can earn additional cash every month because you’ve got high quality content.
    If you want to know how to make extra $$$, search for: Mrdalekjd methods for $$$

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *