De grão em grão, o Periquito vai enchendo o papo

22a686a8a6d45dd35efa54d9809345ec421d08cab7d2b5f93f0c24e86f1f4d3b

De seis de março à seis de maio, foram exatos dois meses de bola rolando para que o Avenida acabasse a primeira fase da Divisão de Acesso no topo do grupo A, de maneira isolada e com vitória diante do torcedor. Foram 14 rodadas jogadas, em um campeonato onde o torcedor iniciou desconfiado com a equipe, afinal a primeira vitória veio só na quarta rodada, mas foi em grande estilo, com um 3 x 0 diante do Santa Cruz. A partir dali iniciou uma crescente na equipe, as coisas foram se encaixando cada vez mais, os resultados positivos aparecendo e o topo do grupo sendo apenas questão de tempo, mesmo no campeonato mais equilibrado dos últimos anos.

O Avenida em números até aqui
26 pontos – segunda melhor campanha, atrás apenas do São Luiz (27 pontos)
7 vitórias, 5 empates e 2 derrotas
24 gols marcados – melhor ataque ao lado do Brasil de Farroupilha
10 gols sofridos – melhor defesa ao lado do Glória
Goleador da competição – Hyantony com 12 gols
Maior goleada da competição – Avenida 6 x 0 Inter SM

Avenida 1 x 0 Pelotas
Para a última rodada da primeira fase, o Avenida jogaria diante de seu torcedor, recebendo o também já classificado para a próxima fase, Pelotas. Mas em jogo estava a liderança do grupo, que garante a vantagem de decidir em casa nos matas. Com Fabiano Daitx ainda cumprindo suspensão, o preparador Lincoln Bender seguiu comandando a equipe da beira do gramado, sem Hyantony suspenso pelo terceiro amarelo e Maurício que foi poupado por estar pendurado, contou com o retorno de Toto e Willian Ribeiro a disposição no banco. Já o Pelotas que havia anunciado que talvez pouparia alguns jogadores, veio para o jogo com time completo e buscando a liderança.

O JOGO
Quem esteve nos Eucaliptos, aproveitando o calor que apareceu após alguns dias sumido, pode ver que estava longe de ser um jogo de compadres, afinal logo aos 4 minutos, o Avenida já foi surpreendido com uma bola na trave, que Luís Henrique afastou. E assim o jogo foi de desenhando, com os visitantes mais ofensivos em busca do gol, até que finalmente o Avenida acordou aos 21 minutos, quando, em fala muito próxima a área, Márcio Reis cobrou e a bola explodiu na barreira, e no bate-rebate, Luís Henrique finalizou, porém sem perigo de gol. E quando o Avenida acorda, ele acorda mesmo, e não demorou muito para que aos 26 minutos Felipe Tchelé buscasse uma bola que estava indo para a lateral e ao cruzar para a área, encontrou Márcio Reis livre, que finalizou e balançou o barbante. O tento estava marcado e o Avenida se mostrando cada vez mais superior na partida.

55b0d9b2b7f9732f0358589efcbcdc64de90cec9830543b33f2e67e750bfc7f0
Quando os mais esfomeados já levantavam-se para ir buscar o famigerado cachorro quente, aos 42 minutos Felipe Tchelé finalizou bem, mas Rafael fez defesa parcial e a defesa afastou o perigo, já o Pelotas finalizava mirando o sol, quando chegava ao ataque.
A segunda etapa iniciou e enquanto os mais atrasados ainda ocupavam seus lugares, Alex Júnio já estava no ataque fazendo Rafael trabalhar. Rafael que não teve vida longa no jogo, pois aos sete minutos quando novamente Felipe Tchelé subia sozinho ao ataque, Rafael chegou sem dó e nem piedade no carrinho, fazendo a falta e levando o cartão vermelho. Com um homem a mais e jogando em casa, tornou-se obrigação ao Periquito comandar as ações de ataque da peleia, e assim foi desenhando-se o jogo, sem que o Pelotas conseguisse oferecer perigo.
O Lobo chegou ao ataque já quando o relógio estava chegando aos 30 minutos jogados, quando Daniel Carvalho finalizou e a bola bateu na rede pelo lado de fora, assustando o torcedor alviverde. Aos 41 jogados, Márcio Reis que estava em um ótimo dia balançou a rede mais uma vez, porém o bandeira disse que estava impedido, mas o lance não pareceu nem de perto estar irregular e foi então que a polícia teve que fazer uma barreira fora do gramado (!), entre os torcedores e o alambrado que os separava do bandeira, bandeira que estava a ouvir vários elogios e mensagens de carinho à sua mãe. E foi então que o senhor Eleno Todeschini começou a marcar até respiração descompassada a favor do Pelotas, mas de nada adiantou, nas faltas cobradas perto da área, os áureo-ceruleos seguiam mirando o sol, e assim acabou a peleia. Avenida 1 x 0 Pelotas.

Divisão de Acesso – 1ª fase – 14ª rodada
AVENIDA 1 x 0 PELOTAS
Data: Sábado – 6 de maio
Horário: 16 horas
Local: Eucaliptos – Santa Cruz do Sul
Arbitragem: Eleno Todeschini
Cartões amarelo: Darlem (Pelotas), Roger (Avenida), Alex Júnio (Avenida), Toto (Avenida), Heitor (Pelotas)
Cartão vermelho: Rafael (Pelotas)
Gol: Márcio Reis, do Avenida (26 min/1ºT)

AVENIDA: Rodrigo; Itaqui, Luís Henrique, Valença e Roger; Toto, Geison (Guilherme Wegmann), Reinaldo e Márcio Reis; Felipe Tchelé (William Ribeiro) e Alex Junio (Moisés)
Técnico: Lincoln Bender

PELOTAS: Rafael; Darlem, Dante, Heitor e Micael; Reinaldo, Arilson, Daniel Carvalho (Jeferson Silva) e Vinícius Martins; Welder (Matheus Klaus) e Giovani Gomes (Douglas Mineiro)
Técnico: Marcelo Mabília

Com a partida finalizada e vitória alviverde, o Avenida acabou a primeira fase na primeira colocação e o Pelotas na terceira. Agora o campeonato é outro, a história se afunila e estamos nos tão adorados matas. Nas quartas de final, o Periquito encara o Esportivo, quarto colocado do grupo B, com primeiro jogo no próximo final de semana na serra e decisão nos Eucaliptos, a princípio no outro final de semana.
Agora é hora de separar os homens dos guris (ns), colocar o coração na ponta da chuteira e ir com tudo para os matas. Afinal, já passaram-se 14 rodadas, onde só duas derrotas foram sofridas e agora quatro jogos nos separam da Série A e seis da segunda estrela na camisa. Serão confrontos difíceis? Sem sombra de dúvidas, mas quem quer acesso, não pode escolher adversário e muito menos nível de dificuldade no caminho. Vamos, é hora de honrar o hino, mostrar a garra da nossa gente e voltar para a elite e deixar o rival representando a cidade no acesso, já que novamente ficaram no quase, quase descenso. ns

Fotos: Lula Helfer

Otimista, mas sempre realista
Sabrina Heming

Publicado em Avenida, Divisão de Acesso 2017, Pelotas com as tags , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *