O gol que poderia ser chamado de luz no fim do túnel

gd_gd7oq5

Chegamos aos matas mais uma vez, até o início dos duelos, restariam apenas seis jogos para o final do acesso – caso a gente chegue até a final – e quatro para o retorno à elite. O primeiro, marcado para o Dia das Mães, quando o Avenida enfrentaria o tão temido – no papel ao início do campeonato -, Esportivo. Dia das Mães, quartas de final, jogo fora, mais uma vez o filme de 2014 estava se repetindo na minha cabeça e outra vez, lá estaríamos nós, deixando nossas mães em casa no seu dia, para acompanhar essa cachaça chamada futebol. Ou quase isso, porque dessa vez eu levei minha mãe junto, sim, isso mesmo. A mãe que havia adentrado o Estádio dos Eucaliptos apenas uma vez na vida, e há mais de 30 anos.

Gostar de futebol, e em especial quando falamos de mulheres que gostam de futebol, falamos de um hábito que as diferencia para sempre. O gostar de assistir nos faz gostar de torcer, e quando você torce, você cede um pouco da sua vida a aquele clube. Passa horas falando dele, assistindo a ele, discutindo com os outros sobre ele, viajando por ele e abrindo mão de coisas por ele.

Bom, para o primeiro duelo, o Periquito entrou em campo sem o capitão Itaqui que acabou sentindo e foi preservado, porém com o retorno do maior camisa 9 que você respeita, o artilheiro Hyantony, que havia cumprido suspensão na última partida. Com a bola rolando, foi o Avenida que buscou o ataque e logo no primeiro minuto, Moisés Baiano alçou na área, quando Renan visando afastar quase marcou contra. A pressão inicial foi toda dos visitantes, e a bola ficou apenas na defesa do time serrano, quando o Avenida chegou alcançar a marca de quatro tiros de canto nos primeiros dez minutos, mas não conseguiu balançar o barbante. Até que, aos 17 minutos, quando o Esportivo subiu ao ataque a bola foi alçada na área alviverde, Thiago Bocão – sei lá pensando o que -, interceptou a passagem da bola com o braço e a clara penalidade foi assinalada por Chico Neto. Zulu, o homem da bola parada – porque rolando é inimigo da redonda -, colocou na marca da cal, bola para um lado, Rodrigo para o outro e o placar estava aberto. Esportivo 1 x 0 Avenida.

gd_mxwjuo

Aos 25 minutos, nova finalização do Avenida, dessa vez de Márcio Reis, após tabela com Maurício, mas a bola foi desviada pela defesa e saiu pela linha de fundo. Já aos 32 minutos, o segundo assistente assinalou penalidade de Reinaldo em uma disputa de bola na área do Avenida, e Chico Neto apenas consentiu, mesmo estando ao lado do lance e não assinalando nada aos seus olhos. Na verdade, a única pessoa que viu algo foi o assistente, porque de resto estamos todos sem entender o que o homem da bandeira viu. Mas a penalidade estava marcada, mais uma vez Zulu na bola, batendo do mesmo lado e mesmo com Rodrigo saindo certo na bola, não conseguiu fazer a defesa. Placar ampliado e a situação do Periquito estava momentaneamente complicada. Foi então que – finalmente – Fabiano Daitx resolveu fazer a troca de Thiago Bocão por William Ribeiro, deslocando Moisés Baiano para a lateral direita.

Para o terceiro tempo, desse jogo de 180 minutos, o Esportivo voltou com as coordenadas do perigo. Foi então que com pouco mais de quinze jogados, Daitx sacou Maurício para colocar Paulinho Simionato em campo, enquanto o Esportivo contava com a entrada de Márcio Hann, completando jovem time serrano – risos-. Aos 27 jogados, William Ribeiro cobrou falta na área e Márcio Reis acertou em cheio o cabeceio, foi quando Luiz Muller caiu certinho no canto, fazendo a sua maior defesa no campeonato (?), impedindo que o Avenida descontasse o placar, com um belo gol do camisa 10.

gd_m0igen

Quando os serranos já se contavam praticamente classificados para a próxima fase, com o bom placar construído em casa, aos 38 minutos jogados, novamente William Ribeiro alçou a redonda na área, quando o camisa 10 que você respeita, Márcio Reis desviou novamente de cabeça, dessa vez sem chances para o arqueiro alviazul. Hyantony chegou a tocar na bola, mas a bola já havia passado a linha da cal. Sem maiores emoções até o final, o placar finalizou em 2 x 1 para os donos da casa.

Com o placar e o gol nos minutos finais, o Avenida voltou para casa com uma tranquilidade que parecia que não seria permitida pelos homens do apito –bandeira -, sabendo que um gol em seus domínios, define a vaga alviverde, visto que a fase conta com saldo qualificado. Mas para a tranquilidade ser maior, não pode voltar a acontecer algumas coisas que aconteceram na serra, como por exemplo, o apavoro do time ao levar o primeiro gol, o que fez com que demorasse alguns minutos para que a equipe se encontrasse novamente em campo, ou alguém pensar que está jogando futevôlei – risos -.

A partida de volta está marcada para a próxima segunda-feira, dia 22, às 20h30.

Fotos: Kévin Sganzerla

FICHA TÉCNICA
Divisão de Acesso

Quartas de final – jogo de ida

ESPORTIVO 2 x 1 AVENIDA
Local: Estádio Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves
Data: 14/05/2017
Horário: 16 horas
Árbitro: Francisco Silva Neto
Assistentes: Elio Nepomuceno de Andrade Júnior e Teilor Thomás da Silva
Cartões amarelos: Cleiton e Natan (Esportivo); Reinaldo (Avenida)
Gols: Zulu (Esportivo) – 17min/1º e 34min/1º e Márcio Reis (Avenida) – 38min/2º

ESPORTIVO: Luiz Müller; Renan, Fernando Cardozo, Gonçalves e Diego Saraçol; Nunes, Cleiton (Filipinho), Natan (Márcio Hahn) e Araújo; Gustavo Sapeka (Vinícius) e Zulu
Técnico: Alex Xavier

AVENIDA: Rodrigo; Thiago Bocão (William Ribeiro), Luís Henrique, Valença e Roger; Toto, Reinaldo, Moisés Baiano, Maurício (Paulinho Simionato) e Márcio Reis (Alexandre); Hyantony
Técnico: Fabiano Daitx

Por tuas cores, até o fim

Sabrina Heming

Publicado em Avenida, Divisão de Acesso 2017, Esportivo com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *