Por tuas cores, até o fim!

avenidaxlaj

Eu estou desde o início do campeonato tentando não me iludir, mas o Avenida não está me permitindo isso (ns), e a noite de quarta-feira, mesmo fria e chuvosa, foi mais um episódio de luta contra a ilusão que me parece estar cada vez mais próxima de se tornar real.

Há uma semana abaixo de chuva no Rio Grande do Sul e com a partida de ida da fase semifinal transferida do sábado para a quarta-feira em busca de uma pausa na chuva, mas São Pedro mostrou que ele que manda nessa bagaça e fez com que a mudança de data não impedisse que a peleia regional fosse realizada abaixo de chuva e com o campo devidamente embarrado; enfim chegou a tão esperada (e que pareceu ser tão distante no calendário) quarta-feira do jogo e lá fomos nós, com nossas (estilosas) capas de chuva, rumo à Lajeado acompanhar o Avenidão da massa. Ao chegar no estádio, notamos que a ideia de adiar o jogo em alguns dias não foi a mais inteligente da existência do alviazul, afinal a chuva seguiu e o gramado apenas ficou mais danificando, chegando a ter algumas poças visíveis próximas ao meio campo, onde, quando a bola rolou (ou tentou), acabava parando ali a todo momento.

Com a bola rolando, o elenco do Lajeadense se inspirou na música da ANitta lançada ontem, e deu a famigerada PARADINHAA A A diante do Avenida (aliás, estamos acostumados a vencer pelos lados do Alviazul), e acabou em desvantagem para o jogo de volta; deixando o Avenida SUAVE SUAVECITO para a peleia em casa.

O JOGO

Eram 19h55 quando o apressadinho (ns) Leandro Vuaden soou o primeiro apito da noite, a peleia iniciava antes mesmo de toda a torcida alviverde chegar no estádio (que contou com todos os problemas possíveis na viagem) e os mais atrasados perderam o primeiro ataque do jogo, que foi alviverde. Logo aos oito minutos, a dupla dinâmica Hyantony e Márcio Reis subiram ao ataque, quando Hyantony tocou para o camisa 10 que chutou forte, obrigando o tão conhecido e aclamado da torcida alviverde, Vanderlei a fazer boa defesa.

Já os donos da casa, iniciaram a partida com tentativas pelo meio campo, mas paravam em duas fortes marcações: a do Avenida e a do barro (ns), enquanto isso o Avenida buscava espaço pelas laterais. Aos 22 minutos mais trabalho ao arqueiro Vanderlei, quando Maurício chutou cruzado e o goleiro espalmou para escanteio, evitando o gol Periquito. Enquanto isso, Rodrigo seguia observando o jogo de canto, já que não era exigido até então.

PASITO A PASITO o Avenida seguia em busca do gol, e foi em uma subida rápida ao ataque que, aos 34 minutos, após reclamações de falta de ambas as equipes, a bola dobrou para Hyantony na área e, como bom artilheiro, fuzilou para balançar o barbante, sem dar chances de defesa a Vanderlei. Além do gol, o Avenida voltou a subir ao ataque apenas aos 46 jogados, quando William Ribeiro chutou para nova defesa de Vanderlei, que fez um grandioso primeiro tempo, a exemplo do que o torcedor alviverde estava acostumado a ver em 2014.

Percebendo que estava preteando o olho da gateada para seu lado, Rodrigo Bandeira voltou para a segunda etapa com Darlan no lugar de Marquinhos, em busca de uma melhor movimentação no meio campo. Já Fabiano Daitx retornou com Reinaldo no lugar de William Ribeiro, que saiu com dores ao final da primeira etapa. Não precisou mais que três minutos da segunda etapa para que a torcida do Lajeadense percebesse que o time estava pronto para, de fato, partir seu coração. Após bate-rebate na área alviazul, a rendonda sobrou para o decisivo Márcio Reis que pegou de cheio na redonda, mais uma vez balançando o barbante dos donos da casa. DOIS A ZERO! Nem o avenidense mais otimista poderia ter almejado tal resultado em terras frukeñas.

Chegando aos 15 jogados na segunda etapa, Daitx sacou Itaqui que havia sido amarelado mais cedo e sentia desconforto muscular, no seu lugar colocou Thiago Bocão. Mostrando que é uma equipe de toque de bola e não de força, o Lajeadense não esboçava grandes reações e perigos ao Periquito. Já o campo, cada vez mais pesado, dificultava cada vez mais o espetáculo e também diferenciar os jogadores, já que nessas alturas ambas as equipes fardavam marrom (ns).

Nas poucas subidas do Lajeadense ao ataque, Rodrigo, em noite honrosa, segurava firme a redonda. E quando ele foi vencido, após chute de Dudu já aos 37 minutos da etapa complementar, Rogélio que voltava de lesão tirou a bola em cima da linha. Na sequência, Márcio Reis saiu para a entrada de Paulinho Simionato. Com a saída do camisa 10 o rendimento da equipe sofreu uma leve queda e o alviazul partiu para o tudo ou nada; foi então que aos 44, Rogélio que mais cedo havia salvado o gol dos donos da casa, tentou cortar de bicicleta e atingiu Flávio Torres dentro da área. E se caiu na área é pênalti, né (a não ser no lance com o William Ribeiro mais cedo que o senhor Vuaden achou que não foi falta rsrsrs). Na cobrança, Anderson ijuí descontou para os donos da casa. E assim acabou a peleia, muita chuva e um Lajeadense 1 x 2 Avenida cravado no placar.

Agora, as equipes voltam a se enfrentar no próximo domingo, 04, a partir das 15h30, nos Eucaliptos. Lembrando que o vencedor desse duelo, estará já garantido na série a de 2018.

Divisão de Acesso – semifinal/ida

LAJEADENSE 1 x 2 AVENIDA

Data e horário: 31 de maio, quarta-feira, 20 horas
Local: Arena Alviazul, em Lajeado
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden
Cartões amarelos: Germano e Mano (Lajeadense); Rodrigo, Itaqui e Toto (Avenida)
Gols: Avenida – Hyantony, Márcio Reis; Lajeadense – Anderson Ijuí

LAJEADENSE
Vanderlei; Mano, Danilo Mendes, Basso e Kaiser; Índio (Padú), Germano, Saldanha (Anderson Ijuí) e Marquinhos (Darlan); Dudu e Flávio Torres
Técnico: Rodrigo Bandeira

AVENIDA
Rodrigo; Itaqui (Thiago Bocão), Rogélio, Valença e Roger; Toto, Márcio Reis (Paulinho Simionato), Moisés Baiano, Maurício e William Ribeiro (Reinaldo); Hyantony
Técnico: Fabiano Daitx

Há de se destacar aqui a grande atuação que o Avenida vem fazendo em forma de grupo até aqui no campeonato, além de alguns nomes que de início foram bastante criticados (inclusive por esta que vos fala), como o zagueiro Valença, que vem se mostrando um grande nome de referência na defesa e não deixando a desejar em nenhuma partida. Márcio Reis foi crescendo durante o campeonato e hoje é peça fundamental na equipe, não apenas nos gols marcados, mas na criação. Rodrigo tem sido diferenciado na defesa, tanto que se analisarmos, na fase dos matas, o Avenida levou gol apenas de penalidades. Dentre outros nomes que poderia citar aqui, como Hyantony, artilheiro isolado da competição hoje com 13 gols marcados e sua grande importância nesta campanha, Rogélio o zagueirão raiz, a imposição de outros nomes como Moisés Baiano, Itaqui e tantos outros nomes que mereceriam destaque.

E agora? Agora, mais do que nunca, é hora de empurrar o Avenida ao topo. É hora de pegar tua camisa, tua bandeira, tua almofada ou o que mais tu desejar e ir aos Eucaliptos no domingo. É hora de mostrar a tua força fora de campo, torcedor. Porque não me restam dúvidas de que dentro de campo eles estarão mostrando toda sua união e garra como foi até aqui, e nos presenteando com o acesso.

Foto: Elton de Andrade/O Informativo

Alguns amores matam, o teu me faz viver

Sabrina Heming

Publicado em Avenida, Divisão de Acesso 2017, Lajeadense com as tags , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *