Passo por passo

Foto: Yuri Cougo

Foto: Yuri Cougo

Quatro jogos, dois empates e duas vitórias. A campanha do Guarany na Copinha tem merecido amplo destaque, tanto pela trajetória em si quanto pela expectativa que se tinha do cuadro alvirrubro antes do inicio do certame. Um jogo de cada vez o encarnado e branco vai mostrando que não é o BÔNUS da competiçãoA montagem do elenco começou de forma coerente com a IDEOLOGIA da nova direção, de compor o elenco com um numero considerável de jogadores locais, a fim de fomentar o “mercado” local e reduzir gastos, além de pensar na Terceirona 2018. Jogadores que passaram pelo Estrela d’Alva em outra oportunidade, como o zagueiro Norton, e jovens jogadores do futebol local, como Rômulo e Lucas Coelho começaram os trabalhos desde o inicio da intertemporada.

Com o passar das semanas uma parceria com o E.C. Avenida foi anunciada. Chegaram cinco nomes do Periquito que ascendeu para o Costelão 2018: o goleiro Rodrigo Santos, o zagueiro Valença, o lateral Itaqui e o meia Mauricio. Já com o campeonato em MARCHA, agregou-se também o volante Carlinhos, que vem sendo opção do Leco para entrar no segundo tempo. Outros nomes compõem o elenco como Edgar Alemão, Diego Borges, Renan Pedrada, Jocenir, Thiago Saraçol, Ramon dos Reis e Ele, Welder.

A chave sul se deu de forma muito complicada. Bagé, Grêmio e Pelotas. Um confronto entre rivais, outro embate contra um time de muita estrutura e um clássico regional. Três confrontos onde TUDO ocorreria, tudo ocorreu, e tudo pode ocorrer.

Na estreia, em Pelotas, um empate em 1-1 onde merecíamos melhor sorte. A fragilidade do Lobo deixou o Índio com uma sensação de que poderia ter iniciado o RETOÇO já com os 3 pontos. Na segunda rodada, viagem até Porto Alegre para, no CARPETE do Zequinha, enfrentar o Grêmio de igual para igual e novamente empatar, dessa vez no OXO. O goleiro gremista foi o melhor jogador da partida.

Enfim estrearíamos em casa, e justamente no clássico local. Em jogo feio, onde o gramado prejudicou fortemente o desempenho de ambas as equipes, o Índio com uma flechada aos 42 do segundo tempo cravou uma vitória hercúlea no BAGUA 426 assumindo a liderança da chave no encerramento do TURNO.

Na abertura do returno o adversário foi novamente o OIMERG. O time da Freeway veio ate o Estrela d’Alva e novamente viu um Guarany dominante. Fazendo por merecer, com gol de Welder, mais 3 pontos e liderança isolada da chave faltando apenas duas partidas.

No desempenho, o Alvirrubro esta um pouco diferente do que o torcedor se acostumou nos últimos 18 meses. Com muitas lateralizações (principalmente pelo lado direito com Itaqui) e lançamentos longos para Welder, a equipe, por vezes, se mostra, pelo menos em casa, a antítese do time que subiu ao Acesso e que retornou pra terceira.

Não estive in loco nas duas partidas fora de casa, mas relatos dão conta de que o time conseguiu colocar mais a bola no chão nos dois jogos. Conclui-se que parte dessa postura seja, então, pela relva castigada do nosso estádio, que, de fato não permite maior segurança para jogar com a esférica no pasto. Assim, é possível que conheçamos os reais conceitos de futebol do Guarany somente no clássico que será realizado na Pedra Moura, visto que o gramado do GEB é bem melhor do que o nosso.

Enfim, continuando no RETURNO, domingo (10), o entrevero será contra o Pelotas em casa. Na sequencia, clássico BAGUA no Estádio da Pedra Moura. Duas partidas em Bagé para selar a classificação. Um resultado positivo contra o Lobo resolve a vida na primeira fase, deixar tudo para o clássico na ultima rodada é viver perigosamente.

A ver,

Kaue Monteiro.

Publicado em Bagé, Copa RS 2017, Guarany de Bagé com as tags , , , , . ligação permanente.

Um comentário em Passo por passo

  1. Tato Moreira diz:

    Belissimo comentario como sempre!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *