Me engana que eu gosto

_A8B9671A

O provocativo (?) título desse texto remete diretamente ao que o Aimoré vem apresentando nessa Copa Paulo Sant’Ana, onde o torcedor sente-se ATRAÍDO por espasmos de futebol seguro e confiante para, logo após, rumar a um silêncio ensurdecedor de “não foi dessa vez que o Índio convenceu”.

De modo específico, o jogo realizado na última quarta-feira (13) no carpete do Passo D’Areia é um belo exemplar do que este que vos bloga está a dizer. Sem entrar no mérito da tenebrosa arbitragem do SOPRADOR DE APITO Nicolas das Almas, bem como sem mencionar as 83738638636763 pessoas que ficam ao redor do gramado na cancha do Zequinha criando um clima absolutamente hostil, o Aimoré foi mais do mesmo.

O primeiro tempo foi sólido, maduro, com a linha defensiva – especialmente a dupla de zaga com o afirmado Centeno e com o XERIFE Luis Henrique – atenta e organizada. Meio-campo e ataque compactos, Faísca ditando o ritmo das ações, em que pese, Élton, de quem o Índio é muito dependente, estar numa jornada não muito ALEGRE.

_A8B9568A

Ao marcar um a zero com Marco Antônio cobrando pênalti, a sensação era a melhor possível, controle de bola total e ainda Brandão perdendo uma ótima chance de gol. O time da casa chegou somente à meta no fim da primeira etapa com chute de longe de Felipe Guedes, onde o mais do que CONFIÁVEL Nicolas fez grande defesa.

COMO SEMPRE ACONTECE, o escrete capilé veio totalmente FORA DE ÓRBITA para o segundo tempo, exceção feita ao jogo contra o Igrejinha em solo OKTOBERIANO, quando o alviazul CHUPOU BALA na primeira etapa e jogou bem na segunda metade da peleia. Por mais que o pênalti que resultou no gol de empate do São José tenha sido estranho, ocorre que o Índio Capilé simplesmente esteve MAL na segunda etapa.

O gol da virada, marcado pelo ex-jogador aimoresista Diego Torres em cobrança de falta belíssima, foi só a cereja do bolo de um time apático que se encolheu e que, à exceção de uma bola na trave chutada por Marco Antônio, foi uma sombra da primeira etapa. Some-se a isso o fato de que, no quadrante final do jogo, as alterações feitas pelo técnico Fabiano de Borba terem sido infelizes e a demora na saída dos jogadores leopoldenses ter INFLADO os ânimos do time da zona norte da capital de alguns gaúchos.

_A8B9508A

A peleia terminou 2 a 1 para o Zequinha e antes do apito final do péssimo juiz que é daqueles que apita tudo que é GRITADO, tivemos pancadaria no Carpetão que era do Tio Chico, em razão de um empurra-empurra oriundo de uma falta cometida por Digaô. Conforme denotam as imagens abaixo, Diogo e Luiz Henrique têm potencial no MMA (Márcio Jonatan que o diga) caso não permaneçam no futebol ns.

_A8B9692A

_A8B9697A

Ao fim, o Aimoré já está classificado e enfrenta o Cruzeiro, amanhã (17/09), no Estádio Cristo Rei para cumprir tabela. O fato é que NUNCA estivemos tão perto de uma vaga para uma inédita disputa de competição nacional, mas o que JUDIA O TIO é que a confiança de que VAI DAR está meio escassa ante o atual desempenho.

Fotos: www.indiocapile.net

Com pouca bala, mas atirando
Natan Dalprá Rodrigues

Publicado em Aimoré, São José. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *