Guia do Gauchão 2018 – Parte I

WhatsApp Image 2018-01-15 at 16.27.31

Juventude x Brasil – Gauchão 1994. Fonte: https://futebolgaucho.tumblr.com

Guasquedo! 2018 mal chegou e quem veio de ARRABALDE foi a mais importante competição da Província de São Pedro, qual seja, o Campeonato Gaúcho. A fórmula de disputa é rigorosamente a mesma do ano passado, 12 clubes ~maior absurdo do mundo~ se digladiam em turno único, os oito melhores colocados avançam para a fase de quartas de final, enquanto os dois últimos ao final do supracitado turno serão rebaixados para a Divisão de Acesso 2019.

Na primeira parte de nosso despretensioso guia, abordaremos os 5 primeiros do total de 10 participantes interioranos do certame. Veremos, a partir de agora, como Avenida, Brasil, Cruzeiro, Juventude e São Paulo chegam para tentar repetir o feito do Novo Hamburgo e desbancar os empoderados da capital de nem todos os gaúchos.

unnamed (2)   E.C. AVENIDA

2018 chega como mais um ano de provação pelos lados dos Eucaliptos. Vice-campeão da Divisão de Acesso 2017 e com a fama de time ioiô, o Avenida chega para o campeonato mais disputado dos últimos anos, com uma base mantida de 2017, bem como comissão técnica mantida.

Remanescentes da equipe do acesso, estão no time os goleiros Rodrigo e Thierry, os laterais Itaqui, João Neto e Roger, zagueiro Luis Henrique, volantes Toto e Moisés Baiano, meias Maurício e Alexandre, atacantes Tchelé e Hyantony, o goleador das três divisões estaduais no último ano, com 14 gols.

Nas novas contratações, buscou-se ao menos um jogador para cada posição. Visando um fortalecimento da base mantida. Chegaram para compor o elenco, o arqueiro Fabiano Heves, que estava atuando no Uruguai; lateral André, zagueiros João Paulo, Yuri e Claudinho, volantes Carlinhos e Fidélis, meias Léo Campos e Diego Torres, além dos atacantes Welder, Ayrton e Marques.

Na preparação para o COSTELÃO, foram sete jogos preparatórios. Totalizando três vitórias, três empates e uma derrota. Vitórias diante de um selecionado amador, Aimoré e Cruzeiro, dois empates com o Novo Hamburgo e um diante do Grêmio, além da derrota por 1 x 0, para o Veranópolis na serra.

Difícil de se prever algo pelo lado dos Eucaliptos, mas a certeza que se tem é que manter uma base, além da comissão técnica nos traz uma confiança a mais. Além do mais, esse lance de rebaixamento não passa nem por perto das conversas nos Eucaliptos. O que prevalece por aqui, é um único objetivo: a classificação para as quartas de final.

Time-base: Rodrigo, Luís Henrique, Claudinho, Roger, Toto, Fidélis, Diego Torres, Welder, Maurício e Hyantony.

Técnico: Fabiano Daitx

Cancha: Eucaliptos (2.600 lugares)

Fornecedor esportivo: Show dos Esportes

Em 2017: Vice-campeão da Divisão de Acesso.

brasil    G.E. BRASIL

Assim como no ano passado, 2018 será de grande tabalho na Baixada. Com técnico novo e novas contratações, o clube enfrentará um calendário cheio.

Apenas nove jogadores renovaram contrato e continuarão vestindo a camisa rubro-negra na temporada 2018. Por aqui ficaram os goleiros Marcelo Pitol e Carlos Eduardo, o zagueiro Leandro Camilo, os laterais, Éder Sciola e Ednei, os volantes Leandro Leite e Itaqui e o meia Calyson.

Foram 23 contratações até o momento, dentre elas, seis jogadores da base, que foi reativada ano passado. São eles: Leonardo (goleiro), Eduardo (zagueiro), Igor (volante), Matheus Sum (meia), Chrigor (atacante) e Luiz Henrique (atacante).

O clube teve que refazer todo o ataque, visto que nenhum jogador da temporada anterior renovou. Dentre as novidades estão Casagrande, que disputou a série B pelo Boa Esporte e Luiz Eduardo, que passou pela Caldense, onde foi artilheiro com 8 gols em 16 jogos. Matheus Lima e Robério completam a parte ofensiva.

Alguns rostos conhecidos também fazem parte do plantel de Clemer. O lateral-esquerdo Bruno Collaço e o volante Vacaria já tiveram passagens pelo Juventude; o lateral Artur, os meias Alisson Farias e Mossoró pelo Internacional.

2017 foi um ano de sufoco. No Campeonato Gaúcho, o Brasil terminou a competição em 10º lugar, pertinho da zona da degola, com 10 pontos, 2 vitórias, 4 empates e 5 derrotas.

Para 2018 ainda é difícil prever algo, mas as expectativas são sempre as melhores. No primeiro e único teste do ano, amistoso contra o Sindicato, o técnico Clemer colocou todo o time em campo. Foi a chance de ver como as novas peças se encaixam junto ao time remanescente da última temporada. No geral a atuação foi boa e o jogo terminou 8 a 0 para o time Xavante, mas é bom manter os olhos sempre abertos e os pés no chão. O primeiro confronto válido pelo Gauchão será no dia 17, contra o Juventude, no Bento Freitas.

Com muitas competições no ano, preparação é imprescindível. Todo cuidado é pouco e Gauchão é peleia braba!

Time-base:  Marcelo Pitol, Éder Sciola, Leandro Camilo, Heverton, Bruno Collaço, Leandro Leite, Itaqui, Toty, Mossoró, Alisson Farias e Luiz Eduardo.

Técnico: Clemer Silva

Cancha: Bento Freitas (em torno de 10 mil lugares)

Fornecedor esportivo: Topper

Em 2017: 10º colocado.

Melhor campanha histórica: campeão em 1919.

cruzeiro

E.C. CRUZEIRO

O Cruzeiro mais estrelado do Brasil terá, novamente, Ben Hur Pereira dando as ordens na casamata. A sede da equipe para jogos, mais uma vez (!), será o Vieirão em Gravataí, já que a Arena de Cachoeirinha, sede da equipe, ainda não está apta a ver o desfile dos bípedes correndo atrás da gorduchinha.

Depois da excelente trajetória em 2017, com a segunda colocação na fase de grupos e eliminação nas quartas-de-final, e que projetou atletas para competições em nível nacional; Chegaram 11 contratações para esta edição do SARTORÃO, mas com o esqueleto da última temporada mantido. William Kozlowski, contratado em 2017 para ser um dos destaques e que confirmou as expectativas segue no grupo, assim como o goleiro Deivity e o zagueiro Fernando Pinto, que busca a retomada da carreira depois de grave lesão que impediu de jogar nas peleias de 2017.

Goleador da Copinha, o matador França permanece e terá uma concorrência de peso, já que o Cruzeiro trouxe para compor o elenco, Kayron, de grande destaque em outras canchas. Como sempre preocupou-se com a piazada, Ben Hur também terá jovens prodígios à disposição para os embates.

A preparação iniciou em 05 de dezembro do ano recém findado e desde tal período, os alvi-azuis estrelados realizaram amistosos e jogos-treino, enfrentando entre tais adversários, Avenida, São Luiz e Juventude. Não cair e dar um BIZU em uma classificação a competições nacionais é o objetivo do Cruzeiro, como a imprevisibilidade é uma marca dessa agremiação, é bom não duvidar.

Time-base: Deivity; Lucas Carvalho, Fernando Pinto, João Guilherme e Jonathan; Dê, Foguinho, Reinaldo e Wiliam Kozlowski; Saldanha e Kayron.

Técnico: Ben Hur Pereira.

Cancha: Estádio Vieirão (6 mil lugares).

Fornecedor esportivo: Weefe.

Em 2017: 5º colocado.

ESCUDO_JUVENTUDE-RS

E.C. JUVENTUDE

Apostando na continuidade e em pratas da casa, o Juventude inicia 2018 rodado de incertezas. O final da temporada passada foi péssimo, mas sinalizou mudanças que podem ser cruciais para o Verdão no novo ano.

Na busca por uma sequência no trabalho, 16 jogadores terminaram 2017 na equipe de Antônio Carlos Zago e permanecem para 2018. Oito contratações completam o grupo, que também conta com outros oito jogadores das categorias de base integrando o grupo profissional pela primeira vez. A direção ainda pretende contratar um lateral direito e um zagueiro.

Os jogadores já conhecidos pela torcida são os goleiros Douglas, Matheus Cavichioli e Raul, os laterais Vidal e Pará, os zagueiros Maurício, Micael e Vinícius, os volantes Bruninho, Lucas, Mateus Santana e Sananduva, os meias Bruno Ribeiro e Felipe Lima e os atacantes Caprini e Yuri Mamute. Diretamente do sub-17, aparecem no grupo o lateral direito Ochoa, o zagueiro Kelvin, o volante Lucas Serafini e o atacante Gabriel Valentini. Do sub-20, subiram para o profissional o lateral esquerdo Fernando, o meia Denner e os atacantes Arthur Taufer e Douglas.

Algumas contratações são bastante conhecidas nas terras gaúchas: Amaral, volante campeão do Gauchão de 2017 com o Novo Hamburgo, e Jô, atacante ex-São José e Cruzeiro, já figuraram em seleções do estadual e vestirão verde e branco. César Martins, zagueiro ex-Flamengo, ainda não foi anunciado, mas já treina com o grupo e deve conquistar uma vaga na defesa alviverde. Alguns novos nomes disputarão o torneio pela primeira vez: são eles os meias Fellipe Mateus e Leandrinho e os atacantes Guilherme Queiroz e Ricardo Jesus.

Com Antônio Carlos Zago no comando, o Juventude chegou na final do Gauchão em 2016. No ano seguinte, sem o mesmo treinador, o campeonato do Papo foi conturbado, com a equipe terminando a fase de grupos na 6ª colocação e caindo nas quartas de final para o Caxias.

Para 2018, a esperança é de que a campanha de dois anos atrás possa ao menos ser repetida – sem obrigação de títulos, mas com o dever de demonstrar boas atuações. Somente elas serão capazes de deixar o torcedor animado para a Copa do Brasil e para a Série B.

Time-base: Matheus Cavichioli, Vidal, Vinícius, Micael e Pará; Amaral, Bruninho e Fellipe Mateus; Bruno Ribeiro, Jô e Guilherme Queiroz.

Técnico: Antônio Carlos Zago

Cancha: Alfredo Jaconi (23.726 lugares)

Fornecedor esportivo: 19Treze

Em 2017: 6º colocado.

Melhor campanha histórica: campeão em 1998.

adesivo-logoclube

S. C. SÃO PAULO

Depois de um 2017 que beirou o desastre da Divisão de Acesso e com uma Série D muito ruim, o ano de 2018 do São Paulo começa… curioso. Não é nem um absurdo dizer que o Leão é o time que mais chama a atenção no interior, com seus nomes experientes e rodados por todos os cantos do Brasil e do mundo – e por vezes com muito sucesso.

O lateral esquerdo mais FORTE do Brasil, Anderson Pico, o Diogo, eterno irmão do Diego, Marcelo Labarthe e Leanderson já criavam um burburinho em Rio Grande, mas a chegada do volante sempre ligado Diguinho coloca essa curiosidade do elenco em uma posição nacional.

Além disso, o treinador Claiton se demonstrou disposto a fazer um trabalho capaz de mudar o patamar de sua carreira na Linha do Parque, e acredito que potencial para isso exista. Só fica a dúvida: será uma mudança positiva ou negativa. Os três empates sem tentos nos amistosos de preparação e a falta de nomes de confiança no setor ofensivo (a falta de gols não é um acidente) indicam que a sina de ser um treinador defensivo pode não ser apenas uma corneta.

A campanha do São Paulo no Gauchão, pode, dependendo desses principais nomes, ser uma das melhores que o clube teve desde que voltou a elite em 2013. Ou ser um desastre irreparável na história recente do clube, com salários altos e um rebaixamento que machucaria por gerações a vir. Resta torcer pelo melhor e procurar a dupla Pico e Diguinho pra uma gelada na noite de Rio Grande!

Time-base: Nicholas, Tiago Machado, Guilherme, Gullith, e Anderson Pico; Ton, Leanderson, Labarthe e Janderson; Fred Saraiva e Luis Gueguel.

Técnico: Claiton dos Santos.

Cancha:  Estádio Aldo Dapuzzo (6,8 mil lugares).

Fornecedor esportivo: Weefe.

Em 2017: 9º colocado.

Melhor campanha histórica: Campeão em 1933.

Escrito por: Sabrina Heming, Jéssica Gebhardt, Cássios Diogo Schaab, Henrique Letti e Gabriel Bresque.

Seguimos peleando!

Publicado em Avenida, Brasil de Pelotas, Cruzeiro, Gauchão 2018, Juventude, São Paulo-RG. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *